Você ainda usa o relógio de ponto cartográfico?

Início » Blog » Controle de ponto » Você ainda usa o relógio de ponto cartográfico?

Você ainda usa o relógio de ponto cartográfico?

2019-06-19T15:10:31+00:0008/01/2019|Controle de ponto, Todos os nossos artigos|
Tempo de leitura: 4 minutos

O relógio de ponto cartográfico é aquele que faz a marcação de ponto de maneira mecânica, imprimindo em um cartão de papel ou de plástico, os horários de entrada e saída dos colaboradores.

Essa tecnologia, inventada há mais de 100 anos, ainda é funcional para empresas de pequeno porte. Com poucos funcionários, é possível fazer o controle de ponto manual e ter certa precisão no monitoramento da jornada de trabalho.

No entanto, conforme o responsável pela gestão de pessoas vai assumindo atividades mais estratégicas, o operacional começa a pesar na rotina.

À medida que o número de colaboradores aumenta, também fica mais complicado manter o controle de ponto em dia. Afinal, a contabilização das horas é feita de maneira totalmente manual e falhas podem acontecer.

Confira agora quais são os riscos de manter o relógio de ponto cartográfico na sua empresa e comece a pensar em alternativas!

Permite fraudes

O relógio de ponto cartográfico funciona da seguinte forma: o funcionário pega o cartão com o seu nome e insere na máquina, que registra no próprio cartão o dia e horário.

Não existe nenhum mecanismo que impeça um colaborador de fazer a marcação de ponto pelo outro. Inclusive, essa fraude é facilitada quando os cartões ficam dispostos logo ao lado do relógio de ponto cartográfico.

A não ser que a empresa invista em medidas de segurança adicionais, é muito fácil burlar o sistema. Com funcionários que recebem pelo horário completo mas na verdade chegaram atrasados ou saíram mais cedo, a empresa tem prejuízo e os gestores têm dificuldade para identificar questões relacionadas à produtividade no trabalho.

Demanda tempo e esforço do departamento de pessoal

No final do mês, uma das rotinas de departamento pessoal é contabilizar quantas horas foram trabalhadas por cada empregado e atualizar o banco de horas ou registrar as horas extras para pagamento.

Quando a empresa usa um relógio de ponto cartográfico para controlar as jornadas, todos esses processos relacionados às horas de trabalho ocorrem manualmente.

Dessa forma, o departamento de pessoal precisa checar os cartões de ponto, um por um, e registrar os horários em uma planilha. A partir daí, é necessário calcular as horas de trabalho de cada colaborador e somar todo o tempo trabalhado no mês.

Quanto mais funcionários, mais tempo demora para calcular a folha de ponto e, consequentemente, a folha de pagamento. O resultado é ter os funcionários do próprio departamento de pessoal fazendo horas extras e ocupando seu tempo com atividades puramente operacionais todo mês.

Exige reposição e estoque

Continuar com o relógio de ponto cartográfico parece uma solução barata a princípio, mas esse tipo de equipamento exige gastos com papel e cartuchos de tinta, além da manutenção do equipamento.

Além disso, é necessário guardar todos os cartões de ponto antigos já preenchidos pelos funcionários, pois eles podem ser requisitados como provas em processos trabalhistas.

Assim, a empresa precisa ter bastante espaço disponível, tanto para organizar os cartões usados, quanto para armazenar os que ainda estão em branco e os insumos para reposição.

Os resultados só são conhecidos no final do mês

Assim como no controle de ponto de papel, o ponto mecânico exige a apuração manual de horários. Por isso, os gestores geralmente esperam o departamento de RH fazer os cálculos para que somente no fechamento saibam quais colaboradores tiveram mais faltas, atrasos ou horas extras.

Essa demora para obter os indicadores dificulta a gestão da equipe ao longo do mês. Quando os gestores conseguem acompanhar a jornada dos membros de uma equipe em tempo real, é possível fazer substituições e obter resultados mais rápidos.

Qual é a alternativa ao relógio de ponto mecânico?

Para abolir o relógio de ponto cartográfico e ter uma gestão de pessoal mais eficaz, o melhor é usar um aplicativo de controle de ponto. Para começar, esse software funciona por identificação biométrica, de forma que não é possível que um empregado registre o ponto no lugar do outro.

Ele funciona em qualquer dispositivo móvel, inclusive nos de propriedade do funcionário, ou seja, não exige a compra de nenhum equipamento. Com funcionamento online, o sistema de ponto permite visualizar os horários de cada colaborador em tempo real, facilitando que o gestor acompanhe as chegadas e saídas de todos.

Na hora de fechar o mês, o app de ponto já fornece, para o departamento de pessoal, todos os saldos de horas dos funcionários, que podem ser organizados por dia, semana, mês ou ano. Assim, não há nenhum trabalho manual e o fechamento é muito mais rápido.

Pronto para fazer a gestão de ponto com mais agilidade e eficiência?

Sobre o Autor:

Formado em Ciências da Computação e Pós Graduado na FGV, se destacou logo no início de sua carreira como Líder Técnico em projetos em fábricas de Software. Em 2007, mudou-se para Londres para atuar como Arquiteto Java na empresa Britânica Boltblue Corp. Na volta, fundou a Framework, empresa que vem se consolidando há 10 anos. Hoje ocupa a função de Diretor Executivo na Framework, e Tangerino (Startup criada com seus sócios).
Nosso site faz o uso de cookies e outros serviços de terceiros.
Para mais informações veja nossa Política de Privacidade.
Ok