Controle de custos em gestão de pessoas: como manter em dia?

//Controle de custos em gestão de pessoas: como manter em dia?

Controle de custos em gestão de pessoas: como manter em dia?

By |2018-08-10T10:41:59+00:0023/05/2018|Gestão de Pessoas|0 Comments

O controle de custos em gestão de pessoas é tão importante quanto o acompanhamento de despesas nas compras e a margem de lucro nas vendas. Isso porque uma empresa depende de pessoas para manter sua operação, porém, não pode comprometer suas finanças com uma folha de pagamento onerosa.

Nossa missão com o artigo de hoje é ensinar-lhe como controlar e reduzir custos no RH, buscando sempre uma equação financeiramente mais saudável para sua organização. Pronto para mais este ensinamento? Vamos em frente!

Folha de pagamento X Receita

Toda empresa deve ter consciência de quanto a folha de pagamento representa no total das receitas adquiridas no mês. Esse indicador de desempenho em recursos humanos é fundamental para medir a saúde financeira da organização.

Quem trabalha com a prestação de serviços normalmente tem um quadro de funcionários maior. Em outras palavras, a folha de pagamento tem um impacto maior sobre a receita. De acordo com especialistas, a porcentagem de comprometimento das receitas não deve ultrapassar os 20% – 25% do total faturado.

Já quem atua no segmento de comércio deve ficar atento quando o custo da folha de pagamento ultrapassar os 15% do total de receitas. E quem é do segmento industrial precisa redobrar a atenção quando esse custo for maior do que 10% das vendas.

Acompanhar esse indicador de desempenho de RH ao longo do tempo permite saber se o custo da folha de pagamento está aumentando ou diminuindo com o tempo. Se ele aumenta, significa que você tem uma empresa inchada (com funcionários demais) ou que as vendas estão caindo.

Em ambos casos é preciso agir imediatamente para eliminar o fator que está comprometendo a lucratividade do negócio, seja com uma reestruturação interna ou com o lançamento de novas estratégias para alavancar as vendas.

Como controlar e reduzir custos no RH

Os indicadores de recursos humanos são fundamentais para um monitoramento eficiente da performance do setor, tanto no que tange à produtividade e eficiência quanto no que se refere ao consumo de recursos da empresa. Portanto, é fundamental acompanhá-los mês a mês e buscar formas de otimizá-los, como as que apresentamos na sequência:

Custos de recrutamento e seleção

Por mais que sua empresa se utilize de bancos de vagas gratuitos, que anuncie oportunidades em redes sociais e que aceite indicações de outros funcionários, existe um custo na contratação que pode e deve ser acompanhado de perto.

O tempo despendido no anúncio de vagas, na seleção de currículos, nas entrevistas presenciais e online representa um custo de produtividade que muitas vezes passa despercebido pelos setores de gestão de pessoas.

Uma forma de reduzir custos de contratação é tornar o processo mais assertivo, com a identificação do perfil profissional ideal para cada vaga e a aplicação de testes online que facilitem a seleção dos candidatos.

Muitas vezes, o outsourcing do processo de contratação também pode significar economia de recursos, especialmente quando a empresa está em busca de profissionais para níveis hierárquicos mais elevados, como CEOs.

Custos de treinamento

Reduzir custos com folha de pagamento também significa, muitas vezes, tornar seu processo de treinamento e desenvolvimento mais ágil e assertivo. É essencial ter funcionários qualificados, porém, não é preciso levar todos para a sala de aula quando os custos dessa ação comprometem a saúde financeira da empresa.

Um profissional que passe por um processo de qualificação pode se tornar um replicador de conhecimento dentro da empresa, treinando os demais colegas sobre o tema recém aprendido. A disponibilização de cursos EaD (Educação a Distância) também contribui para o controle de custos em gestão de pessoas, uma vez que aulas online podem ser replicadas para dezenas e até centenas de pessoas de uma única vez.

Custos de pessoal

Entrando mais a fundo no cálculo de folha de pagamento, sabemos que o pagamento de horas extras é um dos maiores problemas das empresas que têm um alto custo de gestão de pessoas.

O excesso de horas trabalhadas denota uma série de melhorias a serem feitas, como mapeamento de processos e automação dos mesmos, reestruturação interna, redistribuição de atividades e até mesmo eliminação daquelas responsabilidades que não fazem parte do core business da empresa.

Se a sua organização tem uma estrutura de pessoal inchada, talvez seja o momento de pensar em um novo modelo de negócios, mais tecnológico e dinâmico, pronto para responder à dinâmica do mercado.

É onde a aquisição de tecnologias mais atuais e capazes de otimizar os processos, melhorar a segurança da informação e até a capacidade de expansão das vendas entra em jogo.

Um sistema de gestão de pessoas é o primeiro passo para tornar o RH mais estratégico, desde que este esteja integrado com outras soluções usadas pela empresa, como o ERP – Enterprise Resource Planning.

Você também pode considerar a adoção de um sistema de ponto eletrônico digital, que permita monitorar a jornada de trabalho dos funcionários dentro e fora da empresa. Assim, é possível acompanhar a quantidade de horas extras realizadas, os atrasos e as faltas em tempo real.

Com esses dados integrados ao sistema de folha de pagamento, fica mais fácil consolidar todas as informações e tornar o RH mais assertivo no momento de fazer o controle de custos em gestão de pessoas.

Custos de infraestrutura

Conforme a equipe cresce, a infraestrutura é expandida para comportar mais pessoas, o que também representa um custo adicional para a empresa. Se considerarmos uma cidade como São Paulo, o custo do metro quadrado pode variar de R$ 2.900 a R$ 16.000.

Como boa parte da classe trabalhadora mora nos arredores do centro, existe o custo de deslocamento, que é pago pela empresa. Há, ainda, o tempo despendido no trânsito, o risco de acidente no trajeto e os atrasos em virtude de engarrafamentos, por exemplo.

É por esse motivo que muitas empresas têm flexibilizado a jornada de trabalho, concedendo dias específicos para o trabalho home office. Há até quem invista totalmente no trabalho a distância, considerando que os custos de gestão de pessoas são reduzidos drasticamente enquanto a qualidade de vida dos trabalhadores aumenta.

A boa notícia é que, caso você opte por essa modalidade de contrato de trabalho, pode monitorar a jornada laboral da sua equipe da mesma forma que o faria caso tivesse todos os profissionais reunidos num único local. Basta usar um aplicativo de controle de ponto online, como o Tangerino.

Quer conhecer mais essa solução? Acesse nosso site e conheça todos os benefícios de ter um controle de ponto online inteligente!

Leave A Comment