Controle de ponto de docentes: como organizar o horário das aulas?

Início » Blog » Gestão de Pessoas » Controle de ponto de docentes: como organizar o horário das aulas?

Controle de ponto de docentes: como organizar o horário das aulas?

Tempo de leitura: 3 minutos

Segundo o portal Escola Web, instituições de ensino gastam cerca de 180 horas ao longo de meses para a elaboração de um quadro de horários eficiente e viável. A tarefa é desafiadora para os gestores, mas contar com um sistema de controle de ponto docente pode simplificar o trabalho.

Para organizar o horário das aulas, a administração e a coordenação pedagógica têm muitos fatores a considerar. É preciso analisar obrigações do calendário escolar e adequar horário de aulas, datas de provas e aulas extras à disponibilidade dos professores para a escala.

Neste post, contamos a você como o ponto digital pode tornar essa tarefa mais simples. Continue a leitura para saber mais!

Os desafios da organização do horário das aulas

Para entender como o controle de ponto docente pode contribuir para facilitar a organização dos horários, é preciso ter em mente alguns dos desafios desse processo, como fazer a escala de trabalho.

É preciso ter atenção, por exemplo, à gestão do banco de horas e ao controle de horas extras, para evitar situações que onerem a folha de pagamento.

Entender como organizar devidamente os horários demanda amplo conhecimento da rotina dos seus docentes, assim como da legislação do controle de ponto.

É necessário considerar, ainda, o tempo despendido na tarefa de monitorar e consolidar os dados da jornada de trabalho, afinal, o RH estratégico é aquele que possui processos inteligentes e automatizados.

Como o controle de ponto para docentes favorece essa organização

As normas do o artigo 74 da CLT determinam que o controle de ponto deve ser utilizado para a marcação do horário de chegada e saída dos colaboradores. Além de registrar situações que fujam à regra, como atrasos, licenças, férias, horas extras e afastamentos, entre outros.

A análise do histórico do registro de ponto do docente permite à instituição de ensino ter mais clareza da disponibilidade de cada colaborador. E assim, favorece a gestão de escalas, até mesmo quando há necessidade de realizar alterações.

Dito dessa forma, a solução pode parecer interessante, mas muito trabalhosa, não é mesmo? É por essa razão que sua instituição de ensino deve optar por um sistema de ponto eletrônico que favoreça a realização dessa análise.

O uso de um controle de ponto digital como solução ideal

Em geral, o artigo 74 da CLT não determina qual tipo de sistema de controle de ponto docente uma instituição deve adotar, mas há exceções. Em publicação oficial, o Tribunal de Contas da União (TCU) determinou que o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão deve adotar medidas para que universidades federais adotem o controle de ponto eletrônico.

A decisão leva em conta, dentre outras questões, facilitar a avaliação do cumprimento da jornada de trabalho dos professores. O que, de fato, é mais simples de fazer com um aplicativo de ponto eletrônico.

Sua instituição pode optar por essa mudança ou ir além, com uma solução de controle eletrônico de ponto, como o Tangerino. Nosso app de controle de ponto docente permite uma gestão mais eficiente de horas extras e do banco de horas, facilitando a organização de horários para substituições e outras atividades, sem elevação de custos.

Gostou do post? Aproveite e faça um teste gratuito para conhecer melhor a solução que a Tangerino oferece para a sua instituição!

Leave A Comment