O que fazer em caso de uma falta injustificada na segunda-feira?

Início » Blog » Gestão Financeira » O que fazer em caso de uma falta injustificada na segunda-feira?

O que fazer em caso de uma falta injustificada na segunda-feira?

By |2018-12-20T10:19:48+00:0020/12/2018|Gestão Financeira, Todos os nossos artigos|0 Comments
Tempo de leitura: 3 minutos

Falta injustificada é a ausência do empregado no trabalho por um motivo não previsto em lei como possível.

A verdade é que todos nós, alguma vez na vida, precisaremos deixar de cumprir a jornada de trabalho semanal. Mas, quais são os imprevistos amparados pela legislação para justificar uma falta no trabalho? E o que fazer quando o funcionário tem uma falta injustificada logo na segunda-feira?

Confira todas essas informações agora!

Quando o trabalhador pode justificar sua falta

Sim, imprevistos acontecem. E a legislação trabalhista garante ao empregado o direito de faltar ao serviço por motivos específicos, sem que haja prejuízo no seu salário. São eles:

  • falecimento de membros da família ou pessoa que viva sob dependência econômica do trabalhador;
  • licença-maternidade ou licença-paternidade;
  • doação de sangue;
  • casamento;
  • serviço militar;
  • licença remunerada.

O que acontece quando o trabalhador falta sem justificativa

Se o empregado falta por outro motivo que não os citados na lista acima, configura-se falta injustificada no trabalho. Tanto faz se a ausência é na segunda-feira, emendando com o fim de semana, ou se são horas a menos durante o expediente. Em todos os casos, algumas sanções podem ser adotadas pela empresa. Vamos saber quais são elas?

Advertência verbal ou escrita

Um dos primeiros alertas para quem comete falta injustificada no trabalho é a advertência verbal. É quando o superior imediato chama o trabalhador para uma conversa e o adverte sobre as consequências da ausência.

Em seguida, se o problema persistir, pode ocorrer a advertência por escrito. Admite-se que se trata de uma situação recorrente e, portanto, o trabalhador é alertado formalmente.

Muitas vezes apenas uma conversa é suficiente para que o colaborador deixe de faltar e aumente sua produtividade no trabalho.

Desconto no salário

É direito das empresas fazer o desconto de horas negativas na folha de pagamento, inclusive das faltas injustificadas. Além do dia de trabalho perdido, o colaborador ainda é penalizado com o desconto do DSR – Descanso Semanal Remunerado, isto é, o pagamento pelos finais de semana de descanso.

Redução nas férias

Outra hipótese de penalização para os empregados que faltam injustificadamente ao trabalho é a redução no tempo de férias. A legislação trabalhista prevê um máximo de ausências sem motivos ao longo do ano: cinco.

Se o trabalhador ultrapassa esse número, ele poderá perder alguns dias de férias ou, até mesmo, o direito de gozá-las por completo.

Demissão por justa causa

Além de prejudicar o funcionamento da empresa, faltas injustificadas recorrentes também podem prejudicar a vida do trabalhador. Isso porque essas ausências são motivos suficientes para embasar a demissão por justa causa.

O primeiro caso é quando o profissional já recebeu as advertências verbal e escrita, mas segue com as faltas consecutivas. O segundo é quando o empregado falta por 30 dias consecutivos: o ato é considerado abandono de emprego. Portanto, fique atento!

Conclusão

Imprevistos são comuns na vida de qualquer pessoa. E a legislação trabalhista prevê o direito de faltas ao trabalho por motivos de força maior. Porém, quando não se tratam desses casos, o profissional deve fazer o máximo de esforço para que os contratempos não atrapalhem seu desempenho.

Afinal, como já vimos, uma falta injustificada no serviço pode trazer perdas irreparáveis tanto para o empregado quanto para a empresa.

Quer controlar melhor a jornada de trabalho dos seus colaboradores e evitar que as faltas injustificadas prejudiquem a empresa? Conheça o aplicativo de controle de ponto Tangerino e faça um teste grátis por 14 dias!

Leave A Comment