Guia prático de como calcular INSS na folha de pagamento

//Guia prático de como calcular INSS na folha de pagamento

Guia prático de como calcular INSS na folha de pagamento

By |2018-09-03T11:18:46+00:0024/08/2018|Todos os nossos artigos|0 Comments

O INSS é um dos impostos que não podem ficar de fora da folha de pagamento, pois se trata do recolhimento referente ao Instituto Nacional de Seguridade Social, também conhecido como Previdência Social.

É a partir dessa contribuição que o Governo Federal arrecada dinheiro para fazer o pagamento de aposentadorias, pensões por morte, auxílios doença, licenças maternidade, entre outros benefícios.

Neste post, você fica sabendo como calcular o INSS na folha de pagamento para não deixar seus colaboradores na mão!

Como calcular INSS sobre salário

O INSS é um imposto descontado do trabalhador e respeita quatro faixas de contribuição, de acordo com o salário bruto recebido:

  • Até R$ 1.693,72 – desconto de 8%
  • De R$ 1.693,73 a R$ 2.822,90 – desconto de 9%
  • De R$ 2.822,91 a R$ 5.645,80 – desconto de 11%

Esses valores são válidos para empregados de empresas e seus equiparados, empregados domésticos e trabalhadores avulsos, no ano de 2018. Você pode acompanhar os ajustes anuais do INSS no site da Previdência Social.

Você tem como calcular o desconto do INSS manualmente, já que o imposto é cobrado sobre o valor bruto do salário, ou então contar com um software de folha de pagamento devidamente parametrizado para fazer esse cálculo.

Cabe à empresa fazer o repasse dos valores recolhidos ao INSS por meio da GPS – Guia da Previdência Social até o dia 20 do mês subsequente aos serviços prestados pelos trabalhadores.

Atrasei o pagamento da GPS. Como calcular INSS atrasado?

Seja por falta de verba ou esquecimento, pode ser que sua empresa venha a pagar a GPS fora do prazo estipulado. Ainda que este não seja o melhor cenário, ainda é possível calcular o INSS atrasado e quitar a dívida.

Vale ressaltar que neste caso os colaboradores não podem ser prejudicados, portanto, os valores correspondentes à multa e juros por atraso devem ser arcados pela organização.

Os juros, segundo o site da Receita Federal, são calculados com base na taxa SELIC e computados a partir do primeiro dia do mês subsequente ao do vencimento da GPS, até o último dia do mês anterior ao do pagamento. Já no mês do pagamento da GPS, é imputada a taxa de 1% sobre o valor.

Isso significa que, se a sua empresa deixa de pagar o INSS no dia 20 de junho e só quita a dívida no dia 05 de agosto, serão considerados juros com base na taxa SELIC do dia 01 a 31 de julho, mais 1% sobre o valor referente ao mês da quitação, agosto.

Ao calcular o INSS atrasado há, ainda, a incidência de 0,33% de multa por dia de atraso, a partir do primeiro dia do mês subsequente ao do vencimento da GPS até o dia do efetivo pagamento.

No nosso exemplo anterior, você calcula 0,33% de multa para cada um dos 35 dias de atraso, de forma cumulativa.

Todos esses cálculos podem ser facilitados caso sua empresa use um software de gestão de pessoas que contemple um módulo que faça o cálculo de folha de pagamento. Só lembre que é preciso ter segurança quanto à remuneração bruta dos colaboradores para que o cálculo do INSS seja feito da forma correta.

Isso envolve ter um controle de horas extras preciso, realizar os devidos descontos no mês correspondente e ter um sistema de controle de ponto integrado à sua folha de pagamento para otimizar essa rotina.

Esclarecemos suas dúvidas de como calcular INSS na folha de pagamento? Assine nossa newsletter e mantenha-se informado com a Tangerino!

Leave A Comment