Transformação digital e o papel do RH estratégico para o futuro das organizações

/, Todos os nossos artigos/Transformação digital e o papel do RH estratégico para o futuro das organizações

Transformação digital e o papel do RH estratégico para o futuro das organizações

A tecnologia vem transformando a maneira com que fazemos a gestão de recursos humanos.

Antigamente, os processos de recrutamento e seleção demoravam semanas, até meses, com pilhas de currículos sobre as mesas e filas intermináveis de candidatos na porta. Hoje, o processo está mais digital do que nunca, com redes sociais especializadas em networking profissional e entrevistas via videoconferências.

Era característica do RH, também, a morosidade de processos, como calcular folha de ponto manual, que demorava semanas até estar completo. Para o cálculo da folha de pagamento, o setor inteiro ficava indisponível por dias até que tudo estivesse pronto.

Pode ser que você não tenha vivenciado todas essas situações, mas elas certamente existiram. E se hoje temos a tecnologia ao nosso favor, é mais do que natural incorporá-la ao nosso dia a dia, migrando para o que chamamos de transformação digital.

Neste artigo, você vai compreender melhor como a transformação digital impacta os processos do setor de recursos humanos e como essa área se torna cada dia mais estratégica para o sucesso das organizações.

O que é transformação digital?

Os computadores já fazem parte da rotina das empresas há décadas, assim como os softwares e sistemas. No entanto, quando nos referimos ao termo transformação digital, não nos limitamos apenas à digitalização ou informatização dos processos organizacionais.

Aderir à transformação digital é desenvolver modelos de negócios alinhados à nova realidade mercadológica, que faz uso intenso de tecnologias para gerar valor para clientes e consumidores, seja por meio de processos mais eficientes e/ou produtos e serviços mais inteligentes.

Exemplo disso é o uso cada vez mais intenso de dados em todos os processos de negócio, desde o marketing até as finanças. Quando se tem domínio sobre indicadores e métricas de performance, é possível personalizar experiências; resolver as causas, e não os sintomas, de problemas internos; e tomar decisões mais assertivas.

Quer um exemplo? Antes que as tecnologias digitais se tornassem acessíveis, as empresas faziam o controle de ponto manual ou mecanográfico, gerando dezenas de horas de trabalho braçal e sem qualquer valor estratégico para a organização.

Hoje, é possível fazer o controle de ponto de forma eletrônica, somando a biometria ao processo para que ele seja ainda mais seguro e eficiente. E mais: sua empresa pode monitorar a jornada dos colaboradores dentro e fora das suas instalações.

Como a transformação digital se insere no RH?

Os novos formatos de relações trabalhistas, como o home office ou a gestão por projetos, a descentralização das operações das empresas a fim de conquistar maior competitividade e a necessidade de recrutar e selecionar profissionais multidisciplinares exige mudanças profundas nos processos de RH.

Este setor não se encontra mais entre as áreas de apoio organizacional, ele está à frente da organização, desenvolve lideranças, pensa estrategicamente e traz soluções que unam interesses pessoais e empresariais.

Dessa maneira, o RH enfrenta o desafio de contribuir para a aceleração de resultados por meio de ações como otimizar processos e da promoção de uma mudança de cultura organizacional, onde a tecnologia se faz presente até mesmo nas menores tarefas.

A seguir, você confere onde e como a transformação digital está impactando no setor de recursos humanos.

Recrutamento e seleção

Um dos processos vitais das empresas, o recrutamento e seleção precisa ser mais ágil, dinâmico e assertivo, evitando altos custos de contratação. Isso significa mudar não só o processo em si, mas também a mentalidade dos recrutadores.

Hoje, dispomos de plataformas de recrutamento e seleção que conduzem o processo de forma totalmente imparcial, com base apenas nos dados fornecidos pelos candidatos.

O confronto desses dados com o perfil da vaga a ser preenchida gera uma série de relatórios analíticos que conferem aos gestores de RH uma visão isenta de pré-julgamentos, contribuindo para a maior assertividade na escolha do melhor profissional.

As mídias sociais também favorecem o processo de recrutamento e seleção na medida em que permitem conhecer melhor os hábitos, valores e comportamentos dos candidatos, sem falar na agilidade com que a comunicação acontece.

Integração de novos funcionários

A transformação digital também já chegou à integração de novos funcionários, facilitando o período de adaptação dos profissionais à rotina e à cultura da organização.

Aplicativos para smartphones auxiliam nas perguntas mais frequentes, como política de banco de horas ou horas extras, data de pagamento dos salários e obrigatoriedade do ponto eletrônico, por exemplo.

Chatbots na intranet corporativa aprendem sobre os questionamentos mais frequentes ao RH e são programados para respondê-los, reduzindo o tempo de atendimento aos colaboradores sem prejudicar a comunicação interna e o relacionamento interpessoal na organização.

Aplicativos de controle de ponto permitem monitorar a jornada de trabalho em tempo real e até acompanhar o trajeto de colaboradores externos que estejam viajando ou em trânsito, aumentando a segurança dos mesmos e a eficácia no controle de horas trabalhadas.

Treinamento e desenvolvimento

Treinar e desenvolver talentos é uma premissa básica para as empresas que desejam aumentar a competitividade e, consequentemente, os resultados. Mas, barreiras como alto custo de qualificação e a ausência de colaboradores em seus postos de trabalho enquanto passam por treinamentos impedem as empresas de ir além neste processo.

O engajamento da equipe e a aplicação prática dos conhecimentos adquiridos são outros obstáculos a superar para que se forme uma equipe de alta performance, o que a transformação digital tem resolvido bem em empresas que aplicam conceitos como gamification, realidade aumentada e plataformas virtuais de aprendizagem.

Além de estimular o interesse pelo aprendizado contínuo, esses recursos permitem escalar a quantidade de colaboradores treinados, monitorar a performance de cada um por meio de avaliações contínuas e ainda validar a aplicação do conhecimento no dia a dia.

Sucessão empresarial

Um dos maiores desafios do RH atualmente é pensar na sucessão empresarial, isto é, formar hoje, os líderes de amanhã. Isso requer um conhecimento aprofundado sobre a personalidade de cada colaborador, seus sonhos enquanto profissional e também seu comportamento no ambiente de trabalho.

Preocupação essa que já passa pela mente de diversos gestores de pessoas, que fazem uso de softwares de análise comportamental para delinear o perfil de cada colaborador e assim prepará-lo para o seu futuro junto à organização.

Além de competências técnicas a serem desenvolvidas, tais softwares indicam habilidades pessoais e profissionais a adquirir, como resiliência, empatia e liderança, por exemplo.

A partir dos dados coletados, o RH faz um planejamento de carreira focado naquilo que a empresa precisa, mas também alinhado àquilo que o colaborador espera enquanto profissional.

Políticas de remuneração e benefícios também podem ser desenvolvidas com base nesse tipo de análise, uma vez que se conhece, de antemão, o que cada colaborador valoriza.

Como você deve ter notado, a tecnologia está presente em todos os processos de RH, seja em maior ou menor escala. O que precisa ser feito agora é torná-la parte intrínseca da empresa, a fim de que os resultados apareçam de forma mais rápida.

Inserindo seu setor de RH na transformação digital

Nossa missão a partir daqui é mostrar a você como fazer com que seu setor de RH saia do status de informatizado para o status de transformado digitalmente. Algumas medidas são necessárias para que essa mudança organizacional ocorra sem percalços, veja:

Redefina os objetivos do setor

Você já parou para pensar em quais são os objetivos estratégicos do RH enquanto parte da empresa? E como ele contribui para que a organização atinja suas metas de negócio?

Ter claro em mente o que se almeja com a transformação digital no RH norteia todas as demais ações da equipe, permitindo também que se estabeleça métricas e indicadores de performance para monitorar os resultados obtidos.

A ideia é que você tenha plena consciência de como a tecnologia deve se integrar ao seu dia a dia e quais resultados são esperados a partir disso.

Integre dados, não sistemas

Já estamos acostumados com a integração entre sistemas, como softwares de folha de pagamento e aplicativos de controle de ponto, por exemplo. Porém, mais do que fazer com que esses sistemas troquem informações, é preciso fazer com que eles consolidem todos os dados e permitam uma análise mais aprofundada sobre o cenário em que sua empresa está inserida.

O conceito de BI (Business Intelligence) retrata justamente isso. Várias soluções tecnológicas integradas de modo a relacionar uma enorme quantidade de dados (Big Data) de forma incrivelmente rápida e assertiva, gerando insights que um ser humano seria incapaz de notar sem o uso de tal tecnologia.

É o caso, por exemplo, de relacionar a alta carga de horas extras realizadas pela equipe durante um determinado tempo e a sua taxa de turnover (rotatividade de funcionários).

Se é um comportamento que se delineia com o tempo, pode ser que um profissional de RH não consiga perceber essa relação antes que a empresa tenha sérios problemas trabalhistas.

Conquiste aliados

Para que a transformação digital no RH tenha sucesso, toda a organização deve estar envolvida, consciente dos benefícios e também dos desafios a superar. Isso pode ser conquistado a partir de uma comunicação interna transparente, pautada na credibilidade e no feedback de mão dupla.

É importante ressaltar que a gestão da empresa, representada por diretores, gerentes, coordenadores e demais cargos de confiança, deve ser o público mais engajado com a transformação digital, afinal, não é só o RH que faz gestão de pessoas.

Capacite sua equipe

Mudar a mentalidade das pessoas é mais difícil do que treiná-las para usar determinada ferramenta. Nesse sentido, é fundamental que você invista em treinamentos comportamentais, que auxiliem sua equipe a aceitar bem as mudanças organizacionais, assim como os altos e baixos do mercado em que você atua.

Resiliência, rapport, aprender a aprender e active listening são alguns dos conceitos que podem auxiliar nessa nova estruturação do RH, para que ele se torne aquilo que toda empresa quer: uma peça-chave no sucesso organizacional, que faça com que os objetivos pessoais de cada colaborador coincidam com os objetivos da empresa.

Priorize processos estratégicos

Tornar o RH um verdadeiro caos para implementar tudo, agora, ao mesmo tempo, pode gerar mais estresse do que soluções. Nesse sentido, nossa dica é listar aqueles processos que são chave para o setor de RH, como recrutamento e seleção, folha de pagamento, controle de ponto e desligamento, e ir mudando em etapas.

Uma boa equipe de TI (Tecnologia da Informação) pode auxiliar na elaboração de um plano de ação de contemple todas as tecnologias a adquirir, substituir e eliminar, assim como na execução do cronograma de forma que a transformação digital ocorra em etapas, seguras e capazes de serem controladas por meio de indicadores e métricas de desempenho.

Promova uma experiência agradável

Assim como no marketing, que busca oferecer experiências inesquecíveis aos clientes, na gestão de pessoas você também precisa pensar em como promover experiências positivas ao seu público interno.

Isso significa pensar além da parte técnica dos processos e estabelecer meios para que sua equipe realmente se envolva com as mudanças provocadas pela transformação digital.

Pode ser criando hackathons (eventos focados em resolver problemas de forma criativa), implementando laboratórios de inovação na empresa ou criando equipes responsáveis por determinadas atividades, como testar novos softwares e ferramentas.

O segredo é fazer com que seu time se sinta parte do processo de mudança, internalizando, desde o início, a mentalidade digital.

Sua empresa já iniciou a transformação digital no RH? Quais são suas percepções sobre o processo de mudança organizacional? E a aceitação da sua equipe, como está? Deixe seu comentário para estimular o debate e aproveite para compartilhar este conteúdo com seus colegas de trabalho!

Leave A Comment