Tempo de Leitura: 16 minutos

O balanço patrimonial é uma das principais ferramentas utilizadas na contabilidade para analisar a situação financeira de uma empresa. Esse relatório desempenha um papel crucial na gestão financeira, fornecendo informações essenciais para a tomada de decisões estratégicas.

Ao examinar o documento, é possível identificar a posição financeira da empresa, avaliando a sua capacidade de pagamento, o grau de endividamento, a solidez do patrimônio e a eficiência na gestão dos recursos. 

Portanto, o balanço patrimonial é um requisito legal para empresas, sendo utilizado para a elaboração de demonstrações financeiras e cumprimento de obrigações fiscais. 

Quer compreender e interpretar corretamente esse relatório? Então veja o que é balanço patrimonial, para que serve e como fazer um para a sua empresa. Vamos lá? 

O que é balanço patrimonial?

balanço patrimonial

Balanço patrimonial é um dos principais instrumentos contábeis utilizados por profissionais da área e gestores de empresas. Trata-se de um relatório que apresenta a posição financeira de uma empresa em um determinado momento.

O balanço patrimonial é composto por três elementos principais: ativos, passivos e patrimônio líquido. Resumidamente, os ativos representam os bens, direitos e recursos controlados pela empresa, como dinheiro em caixa, contas a receber, estoques, imóveis, entre outros. 

Os passivos são as obrigações financeiras assumidas pela empresa, como empréstimos, contas a pagar, impostos a recolher, entre outros. Já o patrimônio líquido é a diferença entre os ativos e passivos, representando o valor líquido da empresa, incluindo o capital social e os lucros ou prejuízos acumulados.

Banner escrito:

Por meio do balanço patrimonial, os profissionais da contabilidade e gestores podem obter uma visão clara da situação financeira da empresa, analisando sua capacidade de pagamento, a estrutura de capital, a saúde financeira e a rentabilidade

Essas informações são fundamentais para a tomada de decisões estratégicas, como investimentos, financiamentos, planejamento tributário, expansão de negócios e distribuição de lucros.

Portanto, o balanço patrimonial é uma ferramenta indispensável para profissionais da área contábil e gestores de empresas, permitindo uma análise abrangente da situação financeira e patrimonial da organização, e auxiliando na gestão eficiente dos recursos e na tomada de decisões com base em informações sólidas.

Leia também:

Para que serve um balanço patrimonial?

Um balanço patrimonial é um relatório financeiro essencial que serve para fornecer uma visão detalhada da posição financeira de uma empresa em um determinado momento. 

Esse documento ajuda gestores e contadores a tomar decisões estratégicas, analisar o desempenho e cumprir obrigações legais e fiscais. 

Isso porque ele fornece uma visão detalhada dos ativos, passivos e patrimônio líquido da empresa, permitindo que os usuários tenham uma compreensão clara de sua posição financeira e patrimonial.

Veja, em detalhes, as principais finalidades do balanço patrimonial:

Avaliação da saúde financeira

O balanço patrimonial é usado para avaliar a saúde financeira de uma empresa. Ele fornece uma visão clara dos ativos da empresa, indicando sua capacidade de gerar valor e sua solidez financeira. 

Além disso, ao analisar os passivos, é possível determinar o nível de endividamento da empresa e sua capacidade de cumprir suas obrigações financeiras.

Aproveitando o assunto, confira um webinar que fizemos para discutir a importância da saúde financeira nos negócios e, claro, inscreva-se no canal da Sólides Tangerino para ter acesso a mais conteúdos sobre este e outros temas:

Análise de desempenho

Esse relatório é usado para analisar o desempenho financeiro da empresa ao longo do tempo. Ao comparar os balanços patrimoniais de diferentes períodos, é possível identificar tendências, avaliar a evolução dos ativos e passivos e medir a eficiência na gestão dos recursos financeiros. 

Isso permite que os gestores avaliem se as estratégias adotadas estão gerando resultados positivos e façam ajustes quando necessário.

Tomada de decisões estratégicas

O balanço patrimonial é uma ferramenta valiosa para a tomada de decisões estratégicas. Com base nas informações, os gestores podem:

  • identificar pontos fortes e fracos da empresa;
  • avaliar sua capacidade de crescimento;
  • planejar investimentos;
  • estabelecer metas financeiras realistas;
  • tomar decisões informadas sobre questões como expansão, aquisições ou financiamentos.

Cumprimento de obrigações legais e fiscais

O balanço patrimonial é um requisito legal para as empresas, sendo utilizado para a elaboração de demonstrações financeiras conforme as normas contábeis/fiscais aplicáveis. Ele é essencial para o cumprimento de obrigações como relatórios anuais, pagamento de impostos e apresentação de informações financeiras a órgãos reguladores.

Qual o objetivo de um balanço patrimonial?

O objetivo principal de um balanço patrimonial é fornecer uma representação precisa e detalhada da situação financeira de uma empresa em um determinado momento. 

Esse relatório é um dos principais instrumentos contábeis utilizados por gestores, contadores e outros usuários para compreender a estrutura patrimonial da organização, analisar seu desempenho financeiro e tomar decisões estratégicas fundamentadas.

Um dos objetivos do balanço patrimonial é avaliar a saúde financeira da empresa. Ao apresentar os ativos e passivos da organização, o balanço permite que sejam feitas análises sobre a capacidade de pagamento da empresa, a solidez de seu patrimônio e a gestão adequada dos recursos disponíveis. 

Os gestores podem identificar a disponibilidade de ativos líquidos, como dinheiro em caixa, para cumprir obrigações financeiras de curto prazo, bem como avaliar a estrutura de capital da empresa em termos de endividamento e alavancagem.

Outro objetivo importante do balanço patrimonial é oferecer uma base para tomada de decisões estratégicas. Ao analisar seus componentes, como ativos fixos, contas a receber e passivos de longo prazo, os gestores podem avaliar a alocação de recursos, identificar áreas de melhoria e oportunidades de crescimento. 

Confira também estes conteúdos:

Essas informações são fundamentais para planejar investimentos, definir metas financeiras realistas e determinar a viabilidade de projetos de expansão ou aquisições.

Além disso, o balanço patrimonial permite uma análise do desempenho financeiro da empresa ao longo do tempo. Ao comparar os balanços de períodos anteriores, é possível identificar tendências, avaliar a evolução dos ativos e passivos e analisar a eficiência na gestão dos recursos financeiros. 

Essa análise comparativa auxilia na identificação de pontos fortes e fracos, na correção de desvios e na definição de estratégias para melhorar a rentabilidade e a saúde financeira da empresa.

Por fim, como já mencionamos, o balanço patrimonial também atende a obrigações legais e fiscais. As empresas são obrigadas a elaborar demonstrações financeiras de acordo com as normas contábeis e fiscais aplicáveis. 

O balanço patrimonial é uma parte essencial dessas demonstrações e é utilizado para o cumprimento de obrigações legais, como a elaboração de relatórios anuais, a apresentação de informações financeiras a órgãos reguladores e o pagamento de impostos.

Portanto, esse documento contábil tem como objetivo fornecer uma visão abrangente da situação financeira de uma empresa, permitindo uma análise detalhada e a tomada de decisões informadas.

Qual a importância de um balanço patrimonial?

O balanço patrimonial é uma representação instantânea da empresa em um determinado período. Ele permite realizar diversas análises financeiras e identificar diferentes situações. Por exemplo, é possível verificar o valor dos clientes pendentes de pagamento ao final de um período contábil.

O balanço apresenta o valor contábil dos ativos fixos registrados, como carros, terrenos e máquinas. Mostra também a depreciação desses ativos ao longo do tempo e seu valor residual. Além disso, é possível analisar o valor dos fornecedores pendentes de pagamento, bem como acompanhar os saldos a pagar de empréstimos e financiamentos diversos.

Por meio de uma análise mais detalhada, realizada por um contador qualificado, é possível avaliar a evolução financeira e patrimonial da empresa, comparando o período atual com anos anteriores. Esse processo, portanto, permite identificar tendências e estratégias com base em informações históricas.

Quando um balanço patrimonial deve ser feito?

O balanço patrimonial deve ser feito periodicamente, de acordo com a legislação contábil e as normas internas da empresa. Geralmente, é elaborado ao final de cada exercício social, que pode ser um ano fiscal ou outro período definido pela empresa. 

No entanto, existem outras situações em que um balanço patrimonial também é necessário. A seguir, veremos esses casos com mais detalhes:

Encerramento do exercício social

Ao final de cada período contábil, é obrigatório que a empresa elabore o balanço patrimonial. Isso geralmente ocorre no fim do ano civil, mas pode variar de acordo com as políticas contábeis adotadas. 

Esse balanço é uma representação da posição financeira da empresa naquela data específica e é utilizado para a elaboração das demonstrações financeiras anuais.

Fusões e aquisições

Quando ocorre uma fusão ou aquisição entre empresas, é necessário realizar um balanço patrimonial para determinar a situação financeira das empresas envolvidas antes da transação. Isso é fundamental para avaliar o valor dos ativos e passivos das empresas e determinar a estrutura financeira da nova entidade resultante da fusão ou aquisição.

Mudanças de estrutura societária

Se uma empresa passar por uma mudança em sua estrutura societária, como uma transformação de sociedade limitada para sociedade anônima, por exemplo, é necessário elaborar um balanço patrimonial para refletir essa alteração. 

Esse balanço é importante para ajustar os registros contábeis e garantir a conformidade com as exigências legais relacionadas à nova estrutura societária.

Necessidades internas de gestão

Além das obrigações legais, uma empresa pode optar por elaborar balanços patrimoniais adicionais para atender a necessidades internas de gestão. Isso pode incluir balanços trimestrais, semestrais ou até mesmo mensais, dependendo da necessidade de monitoramento e controle financeiro da empresa

Esses balanços auxiliam os gestores a acompanhar o desempenho financeiro, identificar tendências e tomar decisões estratégicas mais acertadas.

Como é uma estrutura de balanço patrimonial?

Por meio de uma compreensão sólida da estrutura de um balanço patrimonial, é possível desvendar os segredos por trás dos números e obter uma visão clara da saúde financeira de uma organização. Essa ferramenta contábil fornece uma representação organizada dos ativos, passivos e patrimônio líquido da organização em um determinado momento. 

Logo, é fundamental explorar os componentes-chave da estrutura de um balanço patrimonial, destacando como essa análise detalhada pode auxiliar gestores, investidores e outros interessados a tomar decisões informadas sobre a saúde financeira e a estabilidade da empresa. Entenda cada elemento a seguir:

Ativos

Os ativos representam os recursos controlados pela empresa, dos quais se espera que benefícios econômicos futuros sejam obtidos. Esses recursos podem ser tangíveis, como propriedades, equipamentos e estoques, ou intangíveis, como patentes e marcas registradas. 

Os ativos são classificados de acordo com sua liquidez, ou seja, sua capacidade de serem convertidos em dinheiro. Eles fornecem uma visão da capacidade da empresa de gerar receitas, cumprir obrigações financeiras e sustentar suas operações no longo prazo. 

A análise dos ativos no balanço patrimonial permite avaliar a composição e a qualidade dos recursos da empresa, fornecendo insights valiosos sobre seu potencial de crescimento e solidez financeira.

Circulante

Os ativos circulantes, também conhecidos como ativos correntes, representam os recursos esperados para serem convertidos em dinheiro, vendidos ou consumidos no decorrer do ciclo operacional normal da empresa, geralmente dentro de um ano.

Eles incluem itens como equivalentes de caixa, contas a receber de clientes, estoques, investimentos de curto prazo e ativos financeiros líquidos. Cada um desses itens tem sua importância e finalidade dentro da estrutura dos ativos circulantes:

  • O caixa e equivalentes de caixa referem-se aos valores em dinheiro e instrumentos financeiros de alta liquidez que a empresa possui, prontamente disponíveis para uso imediato em suas operações. 
  • As contas a receber representam os valores a serem recebidos de clientes ou devedores em um prazo curto, decorrentes de vendas a prazo ou prestação de serviços.
  • Os estoques incluem as mercadorias ou produtos mantidos pela empresa para venda ou utilização na produção. Podem ser classificados como estoques de matérias-primas, produtos em processo ou produtos acabados, dependendo do estágio de produção ou comercialização. 
  • Os investimentos de curto prazo representam aplicações financeiras com vencimento em um prazo de até um ano.
  • Os ativos financeiros líquidos englobam os ativos de natureza financeira, como títulos negociáveis e derivativos, que podem ser prontamente convertidos em dinheiro.

Aproveite a visita e confira alguns materiais gratuitos que separamos para você:

Vemos que os ativos circulantes são de extrema importância, pois representam a capacidade da empresa de financiar suas operações diárias, cumprir obrigações de curto prazo e responder a oportunidades e desafios emergentes. 

A análise desses ativos permite avaliar a liquidez da empresa, sua capacidade de gerar fluxo de caixa e sua capacidade de honrar compromissos financeiros no curto prazo. Além disso, os ativos circulantes também refletem a eficiência das políticas de gestão de estoque, cobrança de contas a receber e gestão de caixa da empresa.

Não circulante

Os ativos não circulantes, também conhecidos como ativos não correntes ou ativos de longo prazo, não são esperados para serem convertidos em dinheiro, vendidos ou consumidos no curto prazo, mas sim mantidos pela empresa por um período mais longo.

Eles incluem diversos elementos, tais como investimentos de longo prazo, propriedades e equipamentos, intangíveis e ativos diferidos. Cada um desses itens tem suas particularidades e implicações dentro da estrutura dos ativos não circulantes.

Os investimentos de longo prazo podem incluir participações em outras empresas (investimentos societários), títulos de dívida de longo prazo ou investimentos imobiliários que não têm uma finalidade operacional direta na empresa.

Planilha de controle da escala de trabalho

As propriedades e os equipamentos compreendem os ativos tangíveis utilizados pela empresa em suas operações, como terrenos, prédios, máquinas, equipamentos e veículos. Esses ativos geralmente possuem um valor substancial e são utilizados para gerar receitas durante vários períodos contábeis.

Os ativos intangíveis representam recursos não físicos da empresa, como marcas registradas, patentes, direitos autorais, softwares e goodwill. Eles podem ter um valor significativo para a empresa, pois são fundamentais para sua competitividade e capacidade de gerar receitas futuras.

Os ativos diferidos são despesas antecipadas ou custos incorridos pela empresa que serão amortizados ou apropriados ao longo de vários períodos contábeis futuros. Exemplos comuns de ativos diferidos incluem despesas pré-operacionais, gastos com pesquisa e desenvolvimento, custos de publicidade antecipada e custos de emissão de empréstimos.

Portanto, os ativos não circulantes desempenham um papel crucial na estrutura financeira de uma empresa, pois representam seus investimentos de longo prazo e a capacidade de gerar valor a longo prazo

A análise desses ativos fornece informações importantes sobre a estabilidade financeira, a capacidade de crescimento e o valor intrínseco da empresa. Além disso, a gestão adequada dos ativos não circulantes é essencial para otimizar o retorno sobre o investimento e garantir a eficiência operacional.

Passivos

No balanço patrimonial, os passivos representam as obrigações financeiras e os compromissos assumidos pela empresa. Essas obrigações podem ser de natureza atual, exigindo pagamento no curto prazo, ou de longo prazo, com vencimento além de um ano. 

Os passivos incluem contas a pagar a fornecedores, empréstimos e financiamentos, salários e encargos a serem pagos, obrigações fiscais, entre outros. Além disso, eles também englobam os passivos contingentes, que são obrigações possíveis, mas incertas, como processos judiciais em andamento. 

A análise dos passivos no balanço patrimonial permite avaliar a capacidade da empresa de honrar suas obrigações financeiras, gerenciar seu endividamento e garantir sua solvência a curto e longo prazo.

Circulante

Os passivos circulantes, também conhecidos como passivos correntes, representam as dívidas e compromissos que devem ser pagos ou cumpridos no curto prazo, geralmente dentro de um ano.

Eles incluem itens como contas a pagar a fornecedores, empréstimos de curto prazo, impostos a serem pagos, salários e encargos a serem liquidados, dividendos a serem distribuídos aos acionistas, entre outros. Essas obrigações financeiras são consideradas circulantes porque devem ser honradas no ciclo operacional normal da empresa.

A análise dos passivos circulantes é importante para avaliar a saúde financeira da empresa a curto prazo. Ela permite determinar a capacidade da empresa de cumprir suas obrigações financeiras imediatas e lidar com despesas correntes. 

Além disso, a gestão adequada dos passivos circulantes é fundamental para garantir a liquidez da empresa, evitando problemas de fluxo de caixa e interrupções nas operações.

Para ler mais tarde:

Ao analisar os passivos circulantes, é essencial considerar a estrutura de vencimentos e os prazos de pagamento. Uma proporção equilibrada entre os passivos circulantes e os ativos circulantes indica uma gestão financeira saudável, pois significa que a empresa tem recursos suficientes para cumprir suas obrigações de curto prazo. 

Por outro lado, um desequilíbrio entre os passivos circulantes e os ativos circulantes pode indicar dificuldades financeiras e falta de liquidez.

Não circulante

Por outro lado, os passivos não circulantes, também conhecidos como passivos de longo prazo ou passivos de prazo estendido, não são esperados para serem liquidados no curto prazo, mas sim em um período de tempo superior a um ano.

Eles podem incluir elementos como empréstimos de longo prazo, títulos de dívida, financiamentos de longo prazo, arrendamentos de longo prazo e obrigações de pensões. Essas obrigações financeiras são consideradas não circulantes porque seu vencimento está além do ciclo operacional normal da empresa.

Os passivos não circulantes são importantes para a análise da estrutura de financiamento da empresa e sua capacidade de gerenciar compromissos de longo prazo. Essas obrigações podem ter um impacto significativo na saúde financeira e na liquidez da empresa, pois geralmente envolvem pagamentos substanciais e a longo prazo.

Ao analisar os passivos não circulantes, é fundamental considerar o cronograma de vencimentos e os termos contratuais. Isso permite avaliar a capacidade da empresa de cumprir suas obrigações de longo prazo, garantir a sustentabilidade financeira e gerenciar adequadamente seu endividamento.

A gestão adequada dos passivos não circulantes é essencial para garantir que a empresa possa cumprir seus compromissos financeiros no longo prazo, evitar problemas de insolvência e manter uma estrutura financeira saudável. 

Além disso, a análise desses passivos fornece informações valiosas sobre a estratégia de financiamento da empresa, sua capacidade de investimento, a atratividade para investidores e a gestão de riscos financeiros.

Patrimônio líquido

balanço patrimonial

Por fim, o patrimônio líquido representa a parte residual dos ativos da empresa após a dedução de todos os seus passivos. Em outras palavras, é a diferença entre os ativos totais e os passivos totais da empresa.

O patrimônio líquido é composto por várias contas, como o capital social, reservas de lucros, prejuízos acumulados, entre outros. 

  • O capital social representa o valor investido pelos acionistas ou proprietários da empresa em troca de ações ou quotas de participação. 
  • As reservas de lucros são as parcelas retidas dos lucros da empresa ao longo do tempo, que podem ser utilizadas para reinvestimentos, distribuição de dividendos ou outras finalidades determinadas pelos acionistas. 
  • Os prejuízos acumulados, por outro lado, representam os resultados negativos acumulados ao longo dos períodos contábeis anteriores.

Portanto, podemos dizer que o patrimônio líquido reflete a posição financeira da empresa em termos de seus recursos próprios. Ele representa o valor líquido da empresa que pertence aos acionistas ou proprietários, ou seja, é o valor que sobraria para os acionistas em caso de liquidação da empresa, após o pagamento de todas as obrigações.

Um patrimônio líquido positivo e crescente indica que a empresa possui recursos próprios sólidos e pode ser considerada financeiramente saudável. Por outro lado, um patrimônio líquido negativo ou em declínio pode indicar problemas financeiros e insolvência potencial.

Ele também desempenha um papel crucial na análise de desempenho e na avaliação do valor de uma empresa. Ele é utilizado em várias métricas financeiras, como o índice de retorno sobre o patrimônio líquido (ROE), que mede a rentabilidade dos recursos próprios investidos na empresa.

Como fazer um balanço patrimonial?

balanço patrimonial

Fazer um balanço patrimonial envolve a elaboração e organização de informações financeiras relevantes para retratar a situação patrimonial e financeira de uma empresa em um determinado período. 

Embora a complexidade possa variar dependendo do tamanho e da natureza da empresa, alguns passos básicos são comuns.

Agora que você já sabe o que é balanço patrimonial, qual a sua importância e quais itens compõem esse documento, veja como fazer um:

1. Colete os dados

O primeiro e talvez mais importante passo é reunir as informações financeiras de maneira precisa e atualizada. Isso inclui registros contábeis, extratos bancários, registros de ativos fixos, contratos de leasing, registros de empréstimos, entre outros documentos relevantes.

2. Classifique os elementos patrimoniais

Em seguida, organize os ativos, passivos e patrimônio líquido em categorias adequadas. Os ativos são divididos em circulantes e não circulantes, enquanto os passivos são classificados em circulantes e não circulantes. 

O patrimônio líquido é composto pelo capital social, reservas de lucros, prejuízos acumulados e outras contas relacionadas, conforme explicamos ao longo do conteúdo.

3. Valide os saldos

Na sequência, verifique a exatidão dos saldos contábeis e reconcilie-os com fontes externas, como extratos bancários e registros de transações. Além disso, certifique-se de que todos os valores estejam corretamente registrados e que não haja discrepâncias ou erros contábeis.

4. Faça todos os cálculos

Some os valores das categorias correspondentes para obter os totais de ativos, passivos e patrimônio líquido. Certifique-se de que os cálculos estejam corretos e que os saldos sejam precisos.

Confira outros artigos do nosso blog:

5. Apresente os dados

Depois de fazer todos os cálculos, organize as informações em um formato adequado, geralmente em formato de tabela

Divida o balanço em seções distintas, como ativos circulantes, ativos não circulantes, passivos circulantes, passivos não circulantes e patrimônio líquido. Inclua também informações adicionais, como notas explicativas, se necessário.

6. Analise e interprete os dados

Uma vez que o balanço patrimonial esteja pronto, analise as informações para obter insights sobre a saúde financeira da empresa. Compare os saldos com períodos anteriores para identificar tendências e variações significativas. 

Por fim, analise indicadores financeiros, como liquidez, solvência e rentabilidade, para avaliar o desempenho e a posição financeira da empresa.

Como fazer os cálculos de um balanço patrimonial?

balanço patrimonial

É válido dizer que não existem fórmulas específicas para calcular o balanço patrimonial. Para elaborá-lo, você precisa ter as informações dos saldos contábeis das contas que compõem as categorias de ativos, passivos e patrimônio líquido.

Os cálculos consistem basicamente em somar os valores correspondentes de cada categoria para obter os totais.

A estrutura do balanço patrimonial é a seguinte:

  • Ativos:
    • ativos circulantes;
    • ativos não circulantes.
  • Passivos:
    • passivos circulantes;
    • passivos não circulantes.
  • Patrimônio líquido.

Já para calcular o total de cada categoria, você precisa somar os saldos das contas relacionadas a cada uma delas. Por exemplo, para calcular o total de ativos circulantes, some os saldos das contas de caixa, contas a receber, estoques e outros ativos de curto prazo. 

Para calcular o total de passivos circulantes, some os saldos das contas de contas a pagar, empréstimos de curto prazo e outras obrigações de curto prazo. 

O patrimônio líquido é obtido por meio da diferença entre os ativos e os passivos.

Lembrando que esses cálculos são baseados nos saldos contábeis e informações financeiras da empresa, e a estrutura do balanço patrimonial pode variar de acordo com a legislação contábil e o padrão seguido pela organização.

O que mais você precisa saber sobre balanço patrimonial?

Como já deu para perceber, a elaboração de um balanço patrimonial requer conhecimento contábil e uma compreensão sólida dos princípios contábeis geralmente aceitos. 

Para empresas de maior porte ou com maior complexidade, é recomendável envolver profissionais contábeis qualificados para garantir a precisão e conformidade das informações.

Ainda restam dúvidas sobre o assunto? Confira um apanhado do que abordamos neste conteúdo:

O que é um balanço patrimonial?

Balanço patrimonial é uma demonstração contábil que apresenta a posição financeira de uma empresa em um determinado período. Ele é composto pelos ativos (bens e direitos), passivos (obrigações) e patrimônio líquido (recursos próprios) da empresa.

Quais os objetivos de um balanço patrimonial?

Ele visa fornecer uma visão clara e precisa da situação financeira de uma empresa, apresentando a relação entre seus ativos, passivos e patrimônio líquido. Isso permite que gestores, acionistas e outras partes interessadas avaliem a saúde financeira e a solidez da empresa. 

Além disso, é uma ferramenta essencial para cumprir obrigações legais e regulatórias, fornecendo informações para relatórios financeiros e demonstrações contábeis. 

Também é utilizado para análise e tomada de decisões, possibilitando identificar tendências, medir o desempenho financeiro e avaliar a capacidade de pagamento da empresa, auxiliando na gestão financeira eficiente e no planejamento estratégico.

Como um balanço patrimonial é feito

Por meio da coleta de informações financeiras relevantes da empresa, incluindo registros contábeis, extratos bancários e outros documentos pertinentes. Os ativos, passivos e patrimônio líquido são classificados e organizados, depois os saldos das contas são somados para chegar aos valores adequados. 

Essas informações são apresentadas em um formato de demonstração, geralmente em tabela, para fornecer uma visão clara e organizada da situação financeira da empresa em um determinado período.

Aprendeu tudo sobre balanço patrimonial?

Esperamos que este conteúdo tenha ajudado você a entender o que é balanço patrimonial e qual a sua importância para a saúde financeira de uma organização. 

Contratar um sistema contábil especializado para elaborar o balanço patrimonial é de extrema importância para as empresas. Esse tipo de sistema possui as ferramentas e conhecimentos necessários para lidar com os aspectos técnicos e complexos envolvidos na elaboração do balanço patrimonial. 

Além de garantir a conformidade com as normas contábeis e regulatórias, um sistema contábil automatizado oferece maior precisão e eficiência no processamento e cálculo dos dados financeiros.

Isso resulta em demonstrações mais confiáveis e relatórios financeiros precisos, permitindo que os gestores tomem decisões embasadas e estratégicas para o futuro da empresa. 

Quer saber mais sobre como esse software pode trazer segurança, organização e credibilidade à gestão financeira da sua empresa? Então continue aqui no blog e confira o nosso conteúdo sobre sistema contábil

Quer simplificar seu DP? É Sólides e Ponto!