Tempo de Leitura: 11 minutos

A gestão de risco é uma prática fundamental em qualquer organização, assegurando o alcance de objetivos e a proteção contra ameaças. Especialmente quando levamos em conta o cenário empresarial atual, no qual o dinamismo e a incertezas prevalecem.

As práticas para mitigar risco podem ser aplicadas desde a tomada de decisão até a implementação de projetos. O que não se pode fazer é negligenciar esses riscos que ultimamente podem acarretar prejuízos financeiros, danos à reputação etc.

Sendo assim, exploraremos o conceito e a prática da gestão de risco, abordando suas diversas dimensões e importância estratégica para o sucesso empresarial. Confira abaixo os principais tópicos abordados neste artigo e boa leitura!

O que é gestão de risco?

gestão de risco

A gestão de risco é uma prática estratégica nas organizações com o objetivo de mitigar ameaças e potencializar resultados. Através dessa estratégia é possível identificar vulnerabilidades e adotar medidas para minimizar os potenciais efeitos negativos.

Também chamada de gerenciamento de risco, trata-se de um elemento fundamental para a resiliência e prosperidade da empresa, uma vez que confere à corporação a capacidade de reagir rapidamente às mudanças. Ele é focado em principalmente cinco atividades:

  • identificar e evitar ameaças por completo;
  • mitigar o seu impacto na empresa;
  • controlar a reincidência da questão;
  • controlar danos;
  • oferecer insumos para acelerar a recuperação.

Junto às práticas de compliance e de governança corporativa, é uma área essencial para o sucesso da empresa. Ademais, segundo dados da KPMG, cerca de 62% das empresas em sua pesquisa já possuem o setor de gestão de risco, enfatizando ainda mais essa tendência.

Contudo, é muito importante saber que isso não é feito de qualquer jeito, existem diretrizes internacionais de boas práticas para implementação dessa estratégia. Conheça abaixo a mais importante delas.

Para modernizar seu DP sem complicações, Sólides Ponto

O que é a ISO 31000?

A ISO 31000 é uma norma internacional criada pela International Organization for Standardization para ser empregado na estrutura, operações e processos de uma organização.

Em outras palavras, é uma forma para que o mercado possa garantir a padronização de ações e também dos resultados obtidos.

A norma defende que a gestão de risco deve ser integrada à gestão da empresa, precisando estar envolvida na tomada de decisão. Ademais, ela também oferece princípios e diretrizes para que as organizações possam identificar e avaliar os riscos presentes em sua operação.

Seja pelo planejamento ou pela remediação de problemas, todas as empresas possuem uma gestão de risco, a grande diferença é que a implementação das orientações dessa normativa aumenta a eficiência operacional e minimiza os erros.

Leia também:

Qual a importância da gestão de risco?

A gestão de risco é um dos pilares fundamentais para o sucesso e a sustentabilidade das organizações no ambiente empresarial atual, marcado por uma complexidade crescente e incertezas constantes.

Trata-se de uma prática proativa, ou seja, de avaliar as ameaças e seus potenciais impactos antes de se tornarem um problema real e impactar negativamente os negócios.

Esses processos preventivos servem principalmente para encontrar oportunidades para impulsionar o crescimento e a inovação dentro da empresa, tendo como principal agenda a identificação de pontos vulneráveis.

Ao compreender os riscos existentes, seja em relação a recursos humanos, financeiros, tecnológicos ou outros, as empresas podem desenvolver planos de ação adequados para minimizar ou eliminar essas ameaças. 

Por exemplo, ao prever a possibilidade de perda de um funcionário-chave, um plano de sucessão bem definido pode garantir a continuidade das operações e projetos em andamento.

A agilidade é outra característica crucial da gestão de risco. Através da adoção de ações prescritivas, as empresas estão preparadas para reagir rapidamente a eventos inesperados ou mudanças de cenário.

Quais as vantagens da gestão de risco?

gestão de risco

A implementação da gestão de risco em uma empresa traz diversos benefícios essenciais para a sua prosperidade e competitividade no mercado. Abaixo, destacamos as principais vantagens em relação aos tópicos propostos:

Suporte ao processo de tomada de decisão

A gestão de risco fornece informações claras e objetivas sobre os riscos enfrentados pela empresa, possibilitando uma tomada de decisão mais embasada e assertiva. Com uma visão abrangente dos cenários possíveis, os gestores podem avaliar as consequências de suas escolhas e direcionar os recursos de forma estratégica.

Levantamento de oportunidades

Além de identificar possíveis ameaças, a gestão de risco também permite identificar novas oportunidades de crescimento e inovação. Ao analisar cenários e traçar planos para contornar riscos, a empresa pode identificar nichos de mercado, novas parcerias ou novos produtos/serviços que possam impulsionar seus negócios.

Eliminar e/ou reduzir perdas

A gestão de risco tem como objetivo minimizar perdas financeiras, de produtividade e de capital. Ao antecipar riscos, a empresa pode implementar medidas preventivas e corretivas para evitar ou mitigar prejuízos. Isso resulta em maior eficiência operacional e redução de custos com eventuais correções.

Melhorar os processos de governança

Com uma gestão de risco eficiente, a empresa fortalece seus processos de governança corporativa. Ao estabelecer um sistema estruturado de monitoramento e controle, a alta administração pode garantir que as políticas e procedimentos estejam em conformidade com as melhores práticas e com as normas regulatórias.

Melhor aproveitamento dos recursos

A gestão de risco busca otimizar o uso dos recursos disponíveis na empresa, sejam eles financeiros, humanos ou materiais. Ao identificar e mitigar riscos, a empresa reduz desperdícios, aumenta a eficiência dos processos e maximiza o retorno sobre os investimentos.

Em suma, a implementação da gestão de risco é uma estratégia fundamental para garantir a sustentabilidade e o crescimento de uma empresa. 

Ao fornecer suporte ao processo de tomada de decisão, levantar oportunidades, eliminar e/ou reduzir perdas, melhorar os processos de governança e otimizar o aproveitamento dos recursos, a gestão de risco permite que a empresa esteja preparada para enfrentar os desafios do mercado e explorar novas oportunidades de negócio. 

Quais os tipos de gestão de risco?

tipos de gestao de riscos

Para melhor compreender a importância da gestão de risco para a sua empresa, é necessário também conhecer os tipos de risco presentes no ambiente de trabalho e como essa equipe pode atuar. São eles:

  • riscos operacionais;
  • riscos de supply chain e fornecedores;
  • riscos ambientais;
  • riscos reputacionais.

Riscos operacionais

Como o próprio nome demonstra, esse tipo de gestão de risco atua nos processos da rotina organizacional da empresa, identificando questões como:

  • modernidade dos sistemas empregados;
  • incidência e prevalência de falhas humanas;
  • inadequação de processos que podem tornar-se gargalos.

Riscos de supply chain e fornecedores

Nesse tipo de atuação, a gestão de riscos irá olhar para os fatores externos como riscos geográficos, de planejamento e de qualidade envolvendo fornecedores.

São criadas formas de avaliação e monitoramento para poder otimizar as práticas de compliance criadas com tais fornecedores e blindar-se da melhor maneira contra os casos em que o risco se torna realidade.

Riscos ambientais

Os riscos ambientais estão mais ligados aos perigos práticos que os colaboradores enfrentam em seus trabalhos. Assim, eles podem ser químicos, físicos, biológicos, ergonômicos etc.

É importante atentar-se a eles para proteger os trabalhadores desses perigos e para garantir que a empresa esteja de acordo com as normas de segurança do trabalho. Vale ressaltar ainda que cada empresa terá um ambiente de trabalho próprio, logo, riscos ambientais próprios.

Riscos reputacionais 

A reputação da empresa é um de seus bens mais precisos, seja para os clientes finais como também para outros profissionais através da marca empregadora.

Sendo assim, é importantíssimo levar em consideração os eventos internos e externos que podem prejudicar a reputação da empresa e cobrar que todos aqueles ligados à empresa tenham uma postura ética, responsável e transparente.

Banner escrito:

Quais são os objetivos da gestão de risco?

O principal objetivo da gestão de risco em uma corporação é garantir que ela esteja pronta para enfrentar os desafios e incertezas, minimizando suas perdas e maximizando seus resultados.

Para alcançar isso, são utilizadas uma série de metodologias e abordagens proativas e estruturadas a fim de identificar, analisar e controlar ameaças que possam afetar negativamente o negócio.

Assim, uma das principais funções desse time é proporcionar informações relevantes para a tomada de decisão tendo em vista toda a operação da empresa e como tal escolha afetará a empresa.

Dessa forma, é possível desenvolver um melhor grau de conhecimento a respeito dos objetivos da empresa, amadurecendo a estratégia de gestão como um todo.

São três os objetivos da gestão de risco:

  • evitar prejuízo financeiro;
  • aproveitamento de recursos;
  • metas de faturamento.

Evitar prejuízo financeiro

Um dos principais focos da gestão de risco é evitar perdas financeiras, seja por falhas na produção, falta de suprimentos ou qualquer outra circunstância que possa comprometer o faturamento da empresa.

Aproveitamento de recursos

A gestão de risco visa otimizar o uso dos recursos disponíveis, sejam eles recursos humanos, matéria-prima ou capacidade produtiva, a fim de maximizar o potencial da empresa.

Metas de faturamento

A gestão de risco trabalha para garantir a lucratividade da empresa, monitorando o desempenho das áreas para assegurar eficiência e mitigar quaisquer prejuízos potenciais.

Aproveita a visita e confira alguns materiais ricos e gratuitos que separamos para potencializar o seu DP:

Como é a atuação da gestão de risco na empresa?

A atuação da gestão de risco em uma empresa engloba não somente evitar que a organização seja afetada de maneira negativa por algo, mas também garantir o total aproveitamento das oportunidades que não podem ser desrespeitadas.

Normalmente, esse processo acontece em quatro etapas:

  • identificação;
  • análise;
  • planejamento;
  • monitoramento.

Identificação

Aqui nada mais é que um levantamento, ou brainstorm, a fim de criar um mapa das situações que podem ocorrer dentro da empresa. Para isso, várias ferramentas podem ser empregadas:

  • What If: criação de hipóteses, suas possíveis soluções ou formas de tirar proveito da situação.
  • PFMEA: do inglês que significa Process Failure Mode and Effective Analysis (Modo de falha de processo e análise eficaz) eficiente para determinar a chance de um risco ocorrer e potenciais soluções.
  • Análise preliminar de riscos: a APR nada mais é que uma lista de riscos identificados junto a suas causas e uma nota de 1 a 3 para a probabilidade de acontecer.

Matriz GUT: nessa metodologia, é preenchida uma tabela com três colunas, gravidade, urgência e tendência. Em seguida, uma nota de 1 a 5 é dada para identificar aqueles riscos que precisam ser resolvidos com maior urgência.

Análise

Nessa etapa da análise é importante avaliar cada um dos riscos levantados. Cada situação terá um impacto diferente para cada empresa, sendo assim, é um processamento de dados relativamente subjetivo.

Planejamento

Após tirar conclusões a respeito de cada um dos riscos levantados, é hora de priorizá-los levando em consideração a probabilidade de acontecer e o potencial dano para a corporação. Vale ressaltar que o planejamento não deve somente considerar os riscos, mas também as oportunidades encontradas.

Aqui, também é importante levantar todos os indicadores chave de negócio que devem ser acompanhados ao longo do tempo, garantindo assim que os riscos e oportunidades foram manejados de forma apropriada.

Monitoramento

Após a implementação das ações a fim de corrigir total ou parcialmente riscos para a empresa ou aproveitar oportunidades de maneira efetiva, é hora de monitorar os seus resultados.

Nessa etapa é importante ter claridade sobre os indicadores que devem ser acompanhados. Assim, é possível ter objetividade na hora de avaliar o sucesso.

Quais os principais motivos para implementar uma gestão de risco?

A gestão de risco oferece benefícios valiosos para as empresas, tais como a prevenção de perdas, otimização do uso do capital, maior chance de sucesso em novos projetos, eficiência e eficácia nas atividades realizadas, e maiores ganhos financeiros.

Até aqui já falamos bastante sobre os impactos positivos de contar com uma estratégia de gestão de risco para a sua empresa. Mas nesse tópico, falaremos especificamente dos principais argumentos para implementá-la em sua empresa:

  • acelera o desenvolvimento da empresa
  • aumenta a competitividade do negócio
  • gera valor para a organização
  • otimiza o uso de recursos da empresa
  • traz a atualização como prática rotineira
  • promove a qualificação dos colaboradores
  • redução de ameaças 

Acelera o desenvolvimento da empresa

A gestão de risco proporciona uma visão ampla dos cenários possíveis, permitindo o monitoramento dos objetivos de curto, médio e longo prazo, além da criação de planos inovadores para maximizar os resultados, impulsionando o desenvolvimento da organização.

Aumenta a competitividade do negócio

Estar preparado para diversos cenários é um super diferencial, afinal de contas, nem todos os seus concorrentes terão um time de gestão de riscos. Dessa forma, o planejamento estratégico embasado na avaliação de risco destaca a empresa entre seus concorrentes, pois permite analisar cenários e elaborar planos para enfrentá-los de forma eficiente.

Gera valor para a organização

O mapeamento de riscos e possibilidades valoriza os processos internos, permitindo que a liderança reconheça e aprimore a eficiência das atividades, melhorando seus resultados e a efetividade de diversos setores da empresa.

Otimiza o uso de recursos da empresa

Tomar uma decisão bem embasada sobre onde aplicar os recursos da empresa e ter um plano estruturado para acompanhar o sucesso da política implementada não tem preço. Isso porque, a gestão de risco busca minimizar prejuízos, perdas de produtividade e de capital, resultando em otimização financeira e planejamento mais eficiente.

Aumenta a segurança dos projetos

Ao levantar riscos, os projetos são executados com maior segurança, pois as soluções para imprevistos são previamente definidas, reduzindo falhas de execução.

Traz a atualização como prática rotineira

O processo de gestão de riscos requer uma atualização constante, seja nas formas políticas institucionais ou nos processos do dia a dia. Dessa forma, é uma prática que costuma ter profundo impacto na manutenção da cultura organizacional, tornando-a mais eficiente e moderna.

Promove a qualificação dos colaboradores

Mais frequentemente do que você imaginaria, a falta de conhecimento em uma determinada área será um potencial risco para a corporação. Uma das soluções é promover a qualificação dos colaboradores a fim de suprir esse gap, tudo planejado com as lideranças para que planos de desenvolvimento individuais sejam desenvolvidos.

Redução de ameaças 

Um objetivo central para a gestão de riscos é lidar com eles, sejam internos ou externos, reduzindo os perigos de perdas financeiras ou de outra natureza. Em não podendo solucionar por completo esses riscos, é possível ainda controlar a forma com que as consequências afetam a empresa.

Como a contabilidade pode ajudar na gestão de risco?

gestão de risco objetivos

A contabilidade desempenha um papel crucial na gestão de risco das empresas, fornecendo informações financeiras precisas e relevantes que auxiliam os gestores a entenderem e lidar com os riscos associados às operações e ao ambiente empresarial.

É sempre importante levar em consideração que a contabilidade deve estar presente em todas as tomadas de decisão, uma vez que, normalmente, elas implicam em custos para a empresa, sejam eles diretos ou indiretos (como horas trabalhadas).

Abaixo estão algumas formas pelas quais a contabilidade pode ajudar na gestão de risco:

  • identificação e avaliação de riscos financeiros;
  • análise de demonstrações financeiras;
  • projeções financeiras e orçamento;
  • compliance e regulamentações;
  • análise de viabilidade de projetos;
  • controle de custos e despesas.

Ao usar a contabilidade como uma ferramenta estratégica, as empresas podem tomar decisões mais informadas, reduzir incertezas e melhorar sua resiliência em um ambiente empresarial desafiador.

Tire suas dúvidas sobre gestão de risco!

O que é gestão de risco?

A gestão de risco é um conjunto de atividades coordenadas para identificar, analisar, avaliar e controlar os riscos que podem afetar uma organização. Visa antecipar possíveis situações ameaçadoras e também identificar oportunidades, permitindo uma tomada de decisão mais informada e estratégica.

Qual a importância da gestão de risco?

A gestão de risco é fundamental para garantir a sustentabilidade e o sucesso das empresas. Permite prevenir perdas financeiras, otimizar recursos, criar um ambiente seguro, identificar oportunidades de crescimento e aumentar a eficiência dos processos, tornando a organização mais resiliente e competitiva no mercado.

Como fazer uma boa gestão de risco?

Uma boa gestão de risco envolve a identificação e avaliação dos riscos relevantes para a empresa, o desenvolvimento de planos de ação para mitigar os riscos, a implementação de controles internos eficientes e o monitoramento contínuo dos riscos e suas respostas. É importante também contar com profissionais especializados e utilizar ferramentas adequadas para a análise e acompanhamento dos riscos ao longo do tempo.

Próximos passos…

A gestão de risco é uma abordagem proativa e estruturada, na qual a empresa aumenta sua resiliência e se torna mais competitiva, garantindo uma posição sólida e promissora em um ambiente empresarial dinâmico e incerto. Sendo assim, não pare os seus estudos por aqui, continue lendo sobre a ESG Contábil!

Banner com fundo roxo e o texto