Tempo de Leitura: 13 minutos

O Plano de Desenvolvimento Individual ― PDI é uma ferramenta de gestão que pode ser aproveitada pelo RH, promovendo diversas vantagens para os profissionais e para a empresa.

Falamos de um planejamento que orienta a evolução profissional das pessoas de uma organização, buscando contribuir para a conquista de objetivos atrelados à carreira.

Isso leva à qualificação desses profissionais e os torna mais capazes de contribuir para o sucesso dos negócios. Por isso, essa é uma ferramenta que entra no radar do RH estratégico. Siga em frente com a leitura para saber mais!

Para facilitar, confira abaixo o que você encontra neste post:

O que é PDI – Plano de Desenvolvimento Individual?

Profissional sentada em frente ao notebook pensativa sobre seu Plano de Desenvolvimento Individual

O Plano de Desenvolvimento Individual é uma ferramenta de gestão de carreiras usada para acompanhar o desenvolvimento das competências de cada profissional da empresa ao longo do tempo.

Assim, falamos de um planejamento que pode ser aliado ao plano de carreira, sendo usado para indicar a quem trabalha quais habilidades precisam ser buscadas para a progressão profissional esperada.

Pesquisa de Clima Organizacional

Para tanto, o PDI considera metas de curto, médio e longo prazo e é criado para um objetivo específico. Por exemplo: 

  • a melhoria de habilidades interpessoais;
  • a realização de um projeto;
  • uma promoção ou mudança de cargo.

Por dar as orientações necessárias a cada pessoa, o plano também funciona como uma ferramenta de motivação, foco e produtividade pessoal, aliando interesses individuais aos da organização.

Dessa forma, além de atender bem a cada profissional, o PDI é importante para empresas que entendem a importância de apostar no desenvolvimento de seus colaboradores.

Qual o objetivo de um Plano de Desenvolvimento Individual?

O objetivo central por trás do Plano de Desenvolvimento Individual é orientar a evolução de cada profissional e de sua carreira de modo a atender a metas pessoais, bem como às necessidades da empresa.

O uso da ferramenta também contribui para a criação de uma cultura de alta performance, uma vez que foca na melhoria do potencial de crescimento e realização de cada pessoa de uma equipe.

Dessa forma, o objetivo do PDI também passa por aumentar a capacidade da empresa em obter bons resultados, de maneira mais eficiente.

Além disso, fazendo recortes possíveis no uso do plano, podemos citar o desenvolvimento de pessoas para ocupar cargos de liderança ou outras posições estratégicas dentro da organização, especialmente para cargos C-Level.

Qual a importância do PDI?

Além de saber o que é um Plano de Desenvolvimento Individual, cabe entender que essa ferramenta é importante para a retenção de talentos e para a conquista de objetivos de negócios.

A capacidade de reter talentos está atrelada a diversos fatores, sendo um deles a perspectiva de crescimento na empresa.

Entre os motivos que levam uma pessoa a sair de um emprego estão: 

  • ausência de possibilidade de promoção;
  • sentimento de estagnação;
  • falta de preocupação da organização com seu desenvolvimento intelectual.

Uma vez que pode ser atrelado ao plano de carreira, como já mencionamos, o PDI responde a todas as questões citadas e contribui para que as pessoas queiram ficar e crescer junto com a empresa.

Isso porque, com o plano em curso, cada profissional recebe orientações sobre quais competências buscar para alcançar seus objetivos dentro da organização e para a organização.

Ainda, embora seja focado no indivíduo, o PDI sempre considera as demandas da empresa e dos objetivos de negócio traçados.

Com isso, contribui para que o quadro de funcionários esteja cada vez mais forte e adequado para atender ao que a organização precisa em busca de melhores resultados.

Gostaria de se aprofundar no tema de retenção de talentos? Ouça o episódio a seguir do Tangerino Talks!

Quais as vantagens de implementar o PDI na empresa

Entender como implementar o Plano de Desenvolvimento Individual e levar a ideia adiante tem diferentes vantagens para uma organização. Confira as principais a seguir:

Reduz o absenteísmo e o turnover

Atrasos, faltas e alta rotatividade de funcionários são problemas que podem estar atrelados ao baixo engajamento com o trabalho. Algo que o PDI pode ajudar a corrigir.

Isso porque o Plano de Desenvolvimento Individual aproxima as pessoas do seu trabalho e da própria organização, impactando positivamente essa relação. Por que isso acontece? É simples.

Com o plano, cada pessoa passa a ter um norte do que fazer para evoluir profissionalmente e conquistar objetivos de seu interesse. Com isso, se sentem mais envolvidas e comprometidas com o trabalho.

Vale lembrar que o Brasil é o país com o maior índice de turnover nas organizações, o que destaca a vantagem de qualquer medida que seja eficiente para reverter esse quadro.

Baixe nossos materiais gratuitos sobre turnover e absenteísmo!
👉  Calculadora Turnover e Absenteísmo
👉  Guia: como engajar colaboradores para diminuir as taxas de absenteísmo e turnover?

Aumenta a motivação e a produtividade

Pegando gancho no que acabamos de explicar, o PDI motiva as pessoas porque torna a conquista de objetivos pessoais mais concreta.

Em outras palavras, a possibilidade de crescimento da empresa deixa de ser apenas uma promessa vazia e passa a contar com orientação e acompanhamento real de lideranças e do RH.

Isso mostra que o desenvolvimento é verdadeiramente possível e incentivado pela organização, além de indicar como alcançá-lo. Quando passa a ser real, a perspectiva de conquista dos objetivos se torna motivadora.

Assim, por consequência, as pessoas entendem melhor como suas próprias expectativas se alinham ao que a empresa precisa. Algo que, por sua vez, favorece o engajamento de colaboradores.

Favorece o cumprimento de metas

Naturalmente, profissionais mais engajados têm mais compromisso com as metas traçadas ― sejam as que atendem a objetivos pessoais ou às que atendem a objetivos da empresa.

Com isso, o Plano de Desenvolvimento Individual contribui para que a organização consiga cumprir seu cronograma de projetos e, se assim desejar, escalonar sua produção e resultados.

Nesse contexto, o relacionamento da empresa com fornecedores, clientes e investidores também pode ser beneficiado.

Aproxima colaboradores e gestores

Como veremos adiante, a elaboração do Plano de Desenvolvimento Individual demanda uma compreensão do perfil e do momento de cada profissional, bem como de sua visão sobre a empresa e suas expectativas quanto ao futuro.

Isso requer avaliações e conversas que, por fim, ajudam a estreitar relacionamentos profissionais.

Falamos de algo que pode ser bastante positivo para o clima organizacional, para o bem-estar de indivíduos e equipes e, consequentemente, para o seu desempenho.

Nesse contexto, gestores passam a ter melhores condições de avaliar quais profissionais são mais adequados para uma mudança de cargo em um eventual recrutamento interno ou para uma promoção, por exemplo.

Em suma, se tornam mais capazes de fornecer bons insights para o RH e para a alta-gestão sobre a composição e eventuais mudanças na estrutura da organização.

Contribui para o autodesenvolvimento

Ainda, o PDI contribui para que cada pessoa tenha clareza de sua própria carreira e possibilidades, sabendo o que buscar para alcançar suas metas e crescer profissionalmente e na empresa.

Com isso, além de contar com as oportunidades de desenvolvimento oferecidas pela própria empresa, cada profissional pode ter um controle maior da sua própria evolução.

Esse ponto merece destaque porque depende especialmente das pessoas colaboradoras colocar o plano traçado em curso.

Para entender melhor, tenha em mente que cabe à empresa desenhar um plano de carreira e participar da elaboração do PDI. Porém, cabe à quem trabalha seguir as orientações para que esse plano dê certo.

Sendo assim, essa autonomia no trabalho é uma consequência esperada e uma vantagem atrelada ao Plano de Desenvolvimento Individual ― embora não signifique que a empresa não deve contribuir para a evolução de cada profissional.

Confira outras leituras que podem ser úteis a você:
📎 
Treinamento e desenvolvimento de funcionários: por que investir?
📎  Upskilling: aplicando o conceito no desenvolvimento de equipes
📎  RH Estratégico: Melhorando os Processos da Gestão de Pessoas

Como elaborar um Plano de Desenvolvimento Individual?

Não existe uma fórmula sobre como criar um Plano de Desenvolvimento Individual, mas é possível elencar passos fundamentais do processo. Confira:

  1. Faça uma avaliação de desempenho;
  2. defina metas e objetivos;
  3. escolha as estratégias;
  4. faça a análise de custos;
  5. defina um cronograma;
  6. avalie pontos fortes e fracos;
  7. faça o acompanhamento dos profissionais.

A seguir, vamos detalhar cada um desses passos para que você entenda melhor sua importância e como colocá-los em prática em sua empresa. Acompanhe:

1. Faça uma avaliação de desempenho

A avaliação de desempenho é fundamental para entender o momento profissional de cada pessoa da empresa.

O “individual” do PDI precisa ser levado a sério e, por essa razão, a avaliação é o primeiro passo do processo de criação de um planejamento que, de fato, identifique as competências a serem desenvolvidas por cada profissional.

Vale destacar que esse passo é um dos que contribuem para aproximar pessoas colaboradores de seus gestores e também do RH.

2. Defina metas e objetivos

O passo seguinte é definir qual objetivo norteará o Plano de Desenvolvimento Individual, lembrando que é possível considerar o curto, médio e longo prazo.

Isso é importante porque a avaliação de desempenho pode indicar diferentes competências que podem ser aprimoradas, mas é preciso focar naquelas que façam sentido para a meta traçada para o momento.

Aqui é essencial ter em mente duas coisas: é preciso promover o alinhamento dos objetivos da pessoa e da empresa e é necessário definir metas viáveis para conseguir motivar cada profissional.

3. Escolha as estratégias

Depois, é importante determinar como os objetivos traçados serão conquistados, ou seja, quais estratégias devem ser buscadas para possibilitar o desenvolvimento buscado.

Da parte do RH, com apoio da alta-gestão, é preciso definir estratégias como a elaboração e oferta de um programa de treinamento, cursos e outros recursos educativos que façam sentido em cada caso.

A realização de tarefas específicas também pode ser usada para oportunizar o desenvolvimento prático de competências atreladas ao PDI. 

4. Faça a análise de custos

Com as estratégias definidas, é preciso pensar nos recursos que a empresa dispõe para colocá-las em prática.

A análise de custos ajuda a entender como realizar cada ação pensando não só no valor despendido, mas no benefício atrelado.

O processo pode envolver, por exemplo, o cálculo do ROI ― Retorno sobre o Investimento ― do RH no que diz respeito ao Plano de Desenvolvimento Individual.

Aprimore a gestão dos custos com pessoal ouvindo esse episódio do Tangerino Talks!

Pesquisa de Clima Organizacional

5. Defina um cronograma

Algo que envolve a conquista de metas e objetivos precisa ter prazos viáveis definidos. Por essa razão, ter um cronograma é necessário.

A ideia é que o Plano de Desenvolvimento Individual não acabe se “dissolvendo”, uma vez que a falta de prazos não impõe um ritmo de evolução e, por consequência, desmotiva e pode fazer com que os objetivos sejam deixados de lado.

É bom destacar também que o cronograma contribui para o ganho de autonomia de cada profissional, aumentando o protagonismo das pessoas na busca do próprio desenvolvimento.

6. Avalie pontos fortes e fracos

Ainda, é preciso ter em mente que o PDI ajuda a entender como fazer. O passo de análise de pontos fracos e fortes serve para mostrar o que precisa ser desenvolvido e o que pode ajudar nesse desenvolvimento.

Os pontos fortes são aqueles que podem ser usados a favor de cada pessoa em seu processo de evolução profissional. Por sua vez, os pontos fracos são aqueles que merecem atenção para que cada objetivo seja cumprido com sucesso.

7. Faça o acompanhamento dos profissionais

No contexto do Plano de Desenvolvimento Individual, o acompanhamento precisa ser contínuo e começa com feedbacks sobre a avaliação de desempenho feita.

Além disso, orientações construtivas sobre os pontos fortes e fracos também devem ser dadas para que cada pessoa saiba como buscar a própria evolução.

Ao longo do processo, conversas para avaliar como cada profissional está se saindo, oferecer novas orientações e até traçar novas estratégias são fundamentais.

Cabe lembrar que o PDI também foca naquilo que é importante para a empresa. Assim, o RH e os gestores precisam estar atentos aos resultados das ações desenvolvidas de modo a melhor direcionar os profissionais e a própria organização.

Quais são os principais exemplos de PDI?

Como mencionamos, um Plano de Desenvolvimento Individual pode ser feito em diferentes circunstâncias ou para diferentes finalidades.

Para que você entenda melhor isso, separamos alguns exemplos:

  • melhoria da comunicação interpessoal;
  • desenvolvimento da capacidade de trabalhar em equipe;
  • melhoria da gestão do tempo;
  • desenvolvimento das habilidades de liderança.

Seja qual for o objetivo traçado, é preciso destrinchá-lo em um processo que ajude cada pessoa a entender como alcançar os resultados esperados.

Vejamos o que poderia ser indicado a alguém que precise melhorar a gestão do tempo no dia a dia de trabalho:

  • Habilidades a serem desenvolvidas: capacidade de se organizar, definir prioridades e otimizar o uso do tempo.
  • Como desenvolver essas habilidades: aprendendo a usar ferramentas de gestão como o Trello ou semelhantes, criar lista de tarefas diárias, aprender a delegar tarefas quando possível.
  • Custo envolvido no processo: valor pago pelo serviço de uma ferramenta de gestão de uso corporativo (caso se aplique).
  • Prazo definido: de 20 de junho de 2022 a 20 de setembro de 2022.
  • Resultado esperado: que a pessoa consiga cumprir suas tarefas sem se perder em prazos, contribuindo para melhorar o fluxo dos processos da equipe.

Seguindo um modelo como esse, é possível pensar na estruturação de diferentes PDIs para a organização e seus colaboradores.

Como evitar erros no Plano de Desenvolvimento Individual?

O processo de elaboração de um Plano de Desenvolvimento Individual tem suas complexidades. Por essa razão, é fundamental dar atenção a erros que podem comprometer a execução do plano e seus resultados.

Confira algumas dicas a seguir:

  1. Defina metas realistas para cada pessoa;
  2. Acompanhe a evolução dos profissionais;
  3. Mantenha um compromisso com o calendário;
  4. Faça alinhamento entre metas e carreiras;
  5. Conte com a tecnologia.

Agora, entenda por que cada uma dessas dicas são importantes para evitar erros no PDI.

1. Defina metas realistas para cada pessoa

Existem profissionais que lidam muito bem com desafios e gostam de metas arrojadas. Entretanto, até para o desenvolvimento dessas pessoas, convém evitar definir objetivos grandiosos demais.

Quando a meta vai além das possibilidades de um profissional, o fracasso ao longo ou ao final do processo se torna inevitável.

Com isso, há boas chances de que a motivação dê lugar à frustração e que o Plano de Desenvolvimento Individual não alcance o resultado esperado.

Uma das dicas aqui é analisar o perfil comportamental de cada pessoa, além de suas habilidades já desenvolvidas, para saber o quão desafiadoras as metas traçadas podem ser a cada etapa.

2. Faça alinhamento entre metas e carreiras

Ainda no que diz respeito às metas, é importante não perder de vista o plano de carreira de cada pessoa e, assim, focar no desenvolvimento de competências que realmente façam sentido nesse contexto.

Quanto a isso, pode ser interessante até explicar porque ou como determinado objetivo do PDI se relaciona com uma conquista profissional maior que cada colaborador deseje alcançar.

3. Acompanhe a evolução dos profissionais

O acompanhamento permite que ajustes sejam feitos ao longo do processo, evitando que as pessoas se desmotivem com erros antes da conclusão do PDI.

Entenda que é natural que os profissionais encontrem algumas dificuldades em seu processo pessoal em busca da meta traçada. Acompanhar sua evolução contribui para mantê-los motivados e no caminho certo.

Isso aumenta as chances de um resultado positivo que beneficia as pessoas da empresa e a própria empresa.

4. Mantenha um compromisso com o calendário

O Plano de Desenvolvimento Individual deve seguir um cronograma tanto pela existência de um prazo de conclusão quanto para orientar as etapas que façam parte do processo.

Cada pessoa precisa conhecer seu calendário e este precisa ser acompanhado por gestores e também pelo RH. Isso ajuda a evitar a procrastinação ou a ansiedade excessiva por parte dos colaboradores, além de organizar suas rotinas.

Ter um calendário se torna ainda mais relevante quando o PDI envolve metas de médio e longo prazo, cursos, treinamentos e outros processos complexos que tomam tempo e precisam ter seus resultados avaliados depois.

5. Conte com a tecnologia

Por fim, considere ferramentas de gestão ― e outras que façam sentido ― como aliadas desde a etapa da elaboração do Plano de Desenvolvimento Individual até sua execução e mensuração de resultados.

Isso pode simplificar processos e contribuir para que a realização e acompanhamento do PDI de cada pessoa da empresa seja feita de forma mais eficiente.

Quando implementar o PDI na empresa?

O Plano de Desenvolvimento Individual deve ser implementado quando a empresa tiver conhecimento do perfil de cada colaborador e suas habilidades, e de como sua evolução pode ser positiva.

Isso porque o plano não pode ser feito sem um propósito e sem o entendimento de como o desenvolvimento de cada pessoa é necessário para a sua própria carreira e para os objetivos de negócios.

Além da análise de perfil e de pontos fortes e fracos, convém entender como cada pessoa se enxerga dentro da organização e quais são suas expectativas ali. Assim, é possível alinhar metas e planos de carreira, como mencionamos antes.

Também é importante ter clareza do porquê. Para qualquer empresa, contar com profissionais mais capacitados é sempre algo positivo.

Entretanto, para que o PDI seja realmente motivador, as pessoas precisam entender onde esse plano pode levá-las. Isso requer uma análise da atuação de cada profissional e da estrutura organizacional.

Se falamos da conquista de habilidades de liderança, por exemplo, é importante que realmente exista espaço para que, no melhor dos cenários, as pessoas tenham chances de ser promovidas a um cargo de gestão.

Qual o papel do RH na implementação do PDI na empresa?

O Plano de Desenvolvimento Individual não é responsabilidade somente do RH, mas o setor tem participação importante à medida que se torna mais estratégico para a gestão de pessoas.

Além do aval da alta-gestão, o PDI precisa contar com o envolvimento de lideranças e gestores de cada setor para que tenha objetivos adequados à cada pessoa e ao momento da organização, e seja bem implementado.

Ao RH cabe desenvolver ações de capacitação, como cursos, treinamentos e palestras. Além de realizar pesquisas de satisfação para entender como os profissionais estão recebendo o plano e mensurar os resultados obtidos.

Para que o setor possa atuar nessas frentes, é preciso que exista menos investimento de tempo em tarefas mais burocráticas que fazem parte das rotinas de RH.

Isso passa pela digitalização do RH para que as tarefas burocráticas sejam cumpridas com auxílio da tecnologia, deixando tempo disponível para que os profissionais do setor atuem de forma mais estratégica.

Faça download do material abaixo para auxiliar nesse processo!
📚 
Aprenda a vencer os desafios de gestão com tecnologia

Conclusão

Relembre os pontos que foram abordados neste artigo:

O que é PDI ― Plano de Desenvolvimento Individual?

É uma ferramenta de gestão de carreiras usada para acompanhar o desenvolvimento das competências de cada profissional da empresa ao longo do tempo.

Qual o objetivo de um Plano de Desenvolvimento Individual?

Orientar a evolução de cada profissional e de sua carreira de modo a atender a metas pessoais, bem como às necessidades da empresa.

Qual a importância do PDI?

A ferramenta é importante para a retenção de talentos e para a conquista de objetivos de negócios.

Quais as vantagens de implementar o PDI na empresa?

• Reduz o absenteísmo e o turnover;
• aumenta a motivação e a produtividade;
• favorece o cumprimento de metas;
• aproxima colaboradores e gestores;
• contribui para o autodesenvolvimento.

Como elaborar um Plano de Desenvolvimento Individual?

1. Faça uma avaliação de desempenho;
2. defina metas e objetivos;
3. escolha as estratégias;
4. faça a análise de custos;
5. defina um cronograma;
6. avalie pontos fortes e fracos;
7. faça o acompanhamento dos profissionais.

Quais são os principais exemplos de PDI?

• Melhoria da comunicação interpessoal;
• desenvolvimento da capacidade de trabalhar em equipe;
• melhoria da gestão do tempo;
• desenvolvimento das habilidades de liderança.

Como evitar erros no Plano de Desenvolvimento Individual?

1. Defina metas realistas para cada pessoa;
2. acompanhe a evolução dos profissionais;
3. mantenha um compromisso com o calendário;

Como vimos, o PDI ― Plano de Desenvolvimento Individual é uma ferramenta de gestão de carreiras que direciona para a capacitação de profissionais visando seus objetivos e os da empresa.

A ideia é dar apoio para que cada pessoa consiga se desenvolver para evoluir profissionalmente, podendo crescer na organização e ser capaz de contribuir dia após dia para o sucesso dos negócios.

A elaboração e implementação de um Plano de Desenvolvimento Individual depende bastante do RH, mas não só. Lideranças e gestores também devem se envolver no processo, ajudando a garantir sua adequação e prática.

Em todo caso, é sempre importante começar avaliando o desempenho de cada profissional para entender quais melhorias podem ser buscadas. Algo que deve considerar as metas definidas também.

No processo, o RH precisa ponderar sobre as melhores estratégias para ajudar cada pessoa a alcançar seus objetivos, o que envolve ainda uma análise de custos e montagem de um cronograma que oriente o processo do início ao fim.

Para motivar os profissionais, é importante conhecer não só seu perfil como seus pontos fortes e fracos, além de acompanhar sua evolução para sugerir ajustes necessários ao longo do caminho.

No melhor dos cenários, o PDI considera o plano de carreira e a estrutura organizacional, levando a resultados mais instigantes e positivos para os profissionais e para a própria empresa.

Sabendo disso, aproveite para ler sobre modelos de plano de carreira e conheça 5 tipos para aplicar agora!

Conheça o novo Módulo Gestão de Férias