Tempo de Leitura: 12 minutos

A redução de jornada para pais de autistas é um direito essencial, reconhecido pela legislação brasileira, que visa garantir a conciliação entre o trabalho e os cuidados necessários para o desenvolvimento e bem-estar dos filhos com TEA (Transtorno do Espectro Autista). 

Nesse contexto, é crucial compreender os procedimentos e requisitos para solicitar essa medida, assegurando que os pais tenham acesso aos benefícios legais que lhes são devidos.

Com base na legislação vigente, os pais servidores públicos de crianças com autismo podem requerer a redução da carga horária de trabalho, proporcionando-lhes maior flexibilidade para atender às necessidades específicas de seus filhos. 

Continue a leitura e saiba tudo sobre a redução de jornada para pais de autistas e se essa determinação também é válida para trabalhadores celetistas!

Quem tem filho com TEA tem direito à redução de jornada de trabalho?

redução de jornada para pais de autistas

Sim, os pais servidores públicos de crianças com TEA (Transtorno do Espectro Autista) têm direito à redução de jornada de trabalho, conforme previsto em diversas legislações e jurisprudências. 

Essa medida visa reconhecer a complexidade e as demandas adicionais envolvidas no cuidado de uma criança com necessidades especiais, como o autismo. A redução de jornada permite que os pais dediquem mais tempo ao acompanhamento médico, terapias e intervenções necessárias para o desenvolvimento e bem-estar de seus filhos.

A legislação brasileira, como a Lei Brasileira de Inclusão (LBI) e a Lei 8.112/90, assegura aos servidores públicos o direito à redução de jornada de trabalho para cuidar de dependentes com deficiência, incluindo filhos com autismo. 

Banner com o fundo branco escrito: Otimize as rotinas do seu Departamento Pessoal com a solução mais completa de DP para PMEs!; e um botão roxo escrito conheça a Sólides Tangerino; ao lado eletrônicos mostrando o software de férias e de ponto Sólides Tangerino

Na iniciativa privada, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) não tem nenhum dispositivo que discorra sobre o tema. Mas é possível garantir a redução de jornada, via Justiça do Trabalho.

O direito à redução de jornada de trabalho para cuidar de filhos com autismo não se limita apenas aos pais servidores públicos. Embora a legislação específica que garanta esse direito mencione os servidores públicos, outras formas de acesso a esse benefício podem ser buscadas por pais que trabalham na iniciativa privada. 

Por meio de ações judiciais baseadas em jurisprudências favoráveis, muitos pais que não são servidores públicos têm conseguido obter a redução de jornada de trabalho para cuidar de seus filhos com TEA. 

Isso ocorre devido à interpretação ampliativa do Poder Judiciário, que reconhece a necessidade de proteção à família e à pessoa com deficiência em diversos contextos. 

Essa medida não implica em redução salarial e não exige compensação de horários, proporcionando aos pais maior flexibilidade para conciliar suas responsabilidades profissionais e familiares.

Leia também:

Ao seguir os passos adequados, como elaborar um requerimento formal, anexar um laudo médico com o CID correspondente, estabelecer um prazo para resposta e protocolar o pedido junto à empresa, os pais podem garantir o acesso a esse direito fundamental de redução de jornada para pais de autistas.

Portanto, a redução de jornada para pais de autistas é um direito respaldado pela legislação e pela jurisprudência brasileira, garantindo condições adequadas para que possam cuidar de seus filhos com TEA de forma integral e dedicada.

Como funciona a redução da jornada de trabalho?

redução de jornada para pais de autistas

A redução da jornada de trabalho para pais de filhos com autismo é uma medida que busca conciliar as responsabilidades familiares com o trabalho. Essa redução pode ser solicitada com base em legislações que visam garantir os direitos das pessoas com deficiência e de suas famílias. 

Uma das leis mais relevantes nesse contexto é a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Lei nº 13.146/2015), que assegura diversos direitos aos indivíduos com deficiência e seus familiares. 

Além disso, o artigo 98 da já citada Lei nº 8.112/1990, que trata do regime jurídico dos servidores públicos civis da União, estabelece o direito à redução da jornada de trabalho para servidores públicos que tenham cônjuge, filho ou dependente com deficiência. 

No entanto, essa lei exigia a compensação de horários, o que poderia ser inviável para muitos pais. No entanto, jurisprudências favoráveis têm reconhecido que, em casos de dependência direta e constante do cuidador, essa compensação não é necessária.

Para solicitar a redução da jornada de trabalho, o trabalhador deve fazer um requerimento formal à sua empresa ou órgão empregador. Esse requerimento deve ser acompanhado de um laudo médico original, sem rasuras, que ateste o diagnóstico de autismo do filho e a necessidade de acompanhamento constante. 

O laudo médico deve conter o Código Internacional de Doenças (CID) correspondente ao transtorno do espectro autista. Após a solicitação, a empresa ou órgão empregador deverá avaliar o pedido e responder dentro do prazo estipulado. 

Se deferido, a redução da jornada de trabalho será implementada, permitindo ao pai ou cuidador dedicar mais tempo ao cuidado e acompanhamento do filho com autismo.

Vale dizer que, atualmente, não há previsão de redução de jornada para pais de pessoas com deficiência na CLT. Para garantir esse direito, é necessário buscar o apoio do sindicato, orientação jurídica e recorrer à Justiça

No entanto, historicamente, mesmo no setor privado, a Justiça tem decidido favoravelmente ao trabalhador, especialmente quando a pessoa com deficiência ou alguém sob sua dependência está envolvida.

Quais são os direitos dos pais que têm filho autista?

redução de jornada para pais de autistas

Os pais que têm filhos autistas possuem diversos direitos assegurados por lei, visando promover a inclusão e garantir o acesso a recursos e benefícios necessários para o bem-estar e desenvolvimento de seus filhos. Alguns desses direitos incluem:

Benefício da prestação continuada (BPC/LOAS)

O benefício da prestação continuada é um auxílio financeiro concedido pelo INSS às pessoas com autismo e seus familiares, visando garantir uma renda mínima para aqueles em situação de vulnerabilidade socioeconômica. 

Para ter acesso a esse benefício, é necessário que a renda per capita do grupo familiar seja igual ou inferior a 1/4 do salário mínimo vigente. Além disso, o autista precisa passar por uma avaliação médica e social realizada pelo INSS para comprovar a condição de dependência de terceiros para atividades básicas do dia a dia. 

O BPC/LOAS é uma importante fonte de suporte financeiro para famílias que enfrentam os desafios adicionais associados ao cuidado de uma pessoa com autismo.

Acesso a filas e vagas preferenciais

Pessoas com autismo têm o direito legal de utilizar filas preferenciais em estabelecimentos comerciais e de acesso a vagas reservadas em estacionamentos, conforme previsto na legislação brasileira. 

Essa medida visa garantir que indivíduos com autismo e seus cuidadores tenham acesso a serviços de forma mais rápida e eficiente, considerando as necessidades específicas desse grupo. 

Muitos locais já adotaram o símbolo do autismo, como a fita formada por quebra-cabeças, para identificar as filas preferenciais e garantir o cumprimento desse direito.

Redução de jornada para pais de autistas

A redução da carga horária de trabalho é um direito assegurado aos pais de filhos com autismo que são servidores públicos, conforme estabelecido pela Lei nº 13.370/2016

Essa medida permite que os pais tenham mais tempo disponível para acompanhar seus filhos em terapias e intervenções necessárias para o desenvolvimento e bem-estar do autista. 

A redução pode ser de até 50% da carga horária semanal, sem redução salarial ou necessidade de compensação de horas. Essa medida tem sido fundamental para garantir que os pais possam conciliar suas responsabilidades profissionais com o cuidado adequado de seus filhos com autismo.

Cobertura do plano de saúde

redução de jornada para pais de autistas

A cobertura do plano de saúde para pessoas com autismo é garantida pela legislação dos planos de saúde, que prevê a obrigatoriedade da cobertura dos transtornos do desenvolvimento listados na Classificação Internacional de Doenças (CID-10). 

Isso significa que todas as condições relacionadas ao autismo devem ser incluídas nos serviços oferecidos pelos planos de saúde, garantindo o acesso ao tratamento adequado para os beneficiários

Essa cobertura abrange desde consultas médicas e exames até terapias e intervenções necessárias para o desenvolvimento e qualidade de vida do indivíduo com autismo.

Isenção de imposto na compra de veículo adaptado

Pessoas com autismo e familiares têm direito à isenção de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) na compra de veículos adaptados. O objetivo é reduzir o custo financeiro para pessoas que necessitam de um veículo adaptado para garantir a mobilidade e o conforto da criança com TEA. 

Para obter essa isenção, é necessário que o comprador apresente a documentação exigida, incluindo laudo médico que comprove a condição de autismo, além de seguir os procedimentos específicos estabelecidos pela Receita Federal do Brasil.

Direito à educação inclusiva

A Lei Brasileira de Inclusão assegura o acesso à escola para crianças e adolescentes com autismo, proibindo a negação de matrícula em qualquer circunstância, tanto na rede pública quanto na particular.

Esses são apenas alguns dos direitos garantidos aos pais de filhos com autismo, sendo importante buscar orientação legal específica para compreender completamente seus direitos e como acessá-los de maneira eficaz.

Banner escrito:

Quem tem filho autista pode pedir redução de carga horária?

Sim, pais que têm filhos autistas podem solicitar a redução de carga horária de trabalho. Esse direito está respaldado tanto pela legislação trabalhista quanto pela jurisprudência para servidores públicos, que reconhecem a necessidade de acompanhamento e assistência aos filhos com autismo. 

A redução de carga horária permite aos pais dedicarem mais tempo aos cuidados e acompanhamento das necessidades específicas de seus filhos autistas, como terapias, consultas médicas e intervenções necessárias para o desenvolvimento e bem-estar da criança.

A redução da carga horária para pais de filhos com autismo pode variar de acordo com a legislação aplicável e as políticas internas da empresa. Em geral, a legislação brasileira prevê a possibilidade de redução de até 50% da jornada de trabalho para servidores públicos federais, sem necessidade de compensação de horas ou redução salarial, conforme estabelecido pela Lei nº 13.370/2016.

No entanto, é importante ressaltar que as condições específicas da redução da jornada de trabalho podem variar dependendo do contexto legal e das políticas da empresa

Portanto, é recomendável verificar as normativas internas da organização e consultar um advogado especializado para obter informações precisas sobre a redução da carga horária e seus requisitos específicos.

Como pedir redução de jornada para pais de autistas?

Como pedir a redução da carga horária

Para solicitar a redução da jornada de trabalho para pais de filhos com autismo, é necessário seguir alguns passos específicos. 

Primeiramente, o trabalhador deve redigir um requerimento formal endereçado à empresa ou órgão empregador, solicitando a redução da carga horária. Esse requerimento deve conter informações detalhadas sobre a solicitação, como o motivo da redução e a nova carga horária desejada.

Além disso, é fundamental anexar ao requerimento um laudo médico original e sem rasuras, emitido por um profissional de saúde qualificado, que ateste o diagnóstico de autismo do filho e a necessidade de acompanhamento constante. 

Esse laudo médico deve conter o CID correspondente ao transtorno do espectro autista, fornecendo embasamento médico para a solicitação.

É importante que o trabalhador informe um prazo razoável para a resposta da empresa ou órgão empregador ao requerimento. Após a protocolação do pedido, a empresa ou órgão empregador deverá analisar a solicitação e dar um retorno dentro do prazo estipulado. 

Se deferido, a redução da jornada de trabalho será implementada, permitindo ao pai ou cuidador dedicar mais tempo ao cuidado e acompanhamento do filho com autismo. 

Em caso de dúvidas sobre o processo ou a documentação necessária, é recomendável buscar orientação no setor de RH da empresa ou consultar um advogado especializado em direitos trabalhistas.

Quem tem direito a redução de carga horária?

A redução de carga horária é um direito concedido a determinadas categorias de trabalhadores que necessitam de mais tempo para cuidar de questões pessoais ou familiares. Isso é especialmente relevante para pais que têm filhos com necessidades especiais, como autismo. 

A legislação trabalhista prevê que, em algumas situações específicas, os trabalhadores têm o direito de solicitar a redução de jornada de trabalho sem que isso acarrete em prejuízo salarial

Essa medida visa equilibrar as demandas profissionais e familiares, garantindo o bem-estar tanto dos trabalhadores quanto de seus familiares que dependem de cuidados especiais.

Veja, abaixo, quem tem direito à redução da jornada de trabalho:

  • pais ou responsáveis legais de crianças com autismo ou outras deficiências;
  • servidores públicos federais, estaduais ou municipais que tenham filhos com necessidades especiais;
  • trabalhadores do setor privado que se enquadrem em situações previstas na legislação trabalhista;
  • familiares que necessitem acompanhar diretamente pessoas com deficiência em suas atividades diárias;
  • qualquer pessoa que tenha dependentes com necessidades especiais sob sua responsabilidade e que necessite de acompanhamento constante.

Quais são os direitos de uma mãe com filho especial?

Direitos de mães de filhos especiais

Uma mãe com filho especial possui direitos que podem ser buscados tanto no âmbito trabalhista quanto previdenciário. No entanto, no regime da CLT e no INSS, não há direitos específicos para essas situações

Ainda assim, é possível conseguir a redução de jornada de trabalho e o Benefício de Prestação Continuada (BPC) – Deficiente. Além disso, alguns direitos são assegurados pela legislação trabalhista, como o direito de acompanhar o filho em consulta médica, garantido pelo artigo 473 da CLT, que prevê um dia por ano para esse fim. 

Ademais, os pais de crianças com até quatro anos têm prioridade em ocupar vagas de teletrabalho, conforme o artigo 75-F da CLT.

Iniciativas sobre redução de jornada para pais de autistas

Existem iniciativas em tramitação no Congresso Nacional, como o Projeto de Lei do Senado nº 110/2016, que propõe a redução de 10% da jornada de trabalho sem perda salarial para os pais de filhos com deficiência.

No entanto, esse projeto ainda está em análise e enfrenta parecer desfavorável da Comissão de Assuntos Sociais do Senado, que argumenta que poderia gerar discriminação e impactar a contratação de pessoas com filhos com deficiência pelas empresas. 

Apesar disso, algumas empresas podem oferecer benefícios aos pais de filhos especiais por meio de acordos ou convenções coletivas de trabalho, variando conforme a categoria e o estado.

Para os pais de filhos com impedimento de longo prazo que trabalham sob o regime da CLT, é possível buscar a redução de jornada sem diminuição salarial para acompanhar o tratamento do filho. No entanto, isso geralmente só é viável por meio de uma ação judicial contra o empregador

Esse direito pode ser fundamentado na interpretação conjunta da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, no Estatuto da Pessoa com Deficiência e no Estatuto da Criança e do Adolescente, que priorizam o interesse e o bem-estar da criança. 

Embora não haja uma lei específica sobre o tema, a jurisprudência tem reconhecido esse direito. Ademais, no INSS, mesmo que os pais estejam trabalhando, o filho com deficiência pode ter direito ao BPC, desde que comprovada a deficiência e a baixa renda familiar.

Dúvidas sobre redução de jornada para pais de autistas

Depois de explorar todos os detalhes sobre a redução de jornada para pais de autistas, estamos aqui para responder às perguntas mais frequentes que possam surgir, ajudando a esclarecer qualquer dúvida que você possa ter. 

Estamos prontos para fornecer informações adicionais e orientações que possam ajudá-lo a compreender melhor seus direitos e opções disponíveis.

Quem tem direito à redução de jornada de trabalho?

Servidores públicos federais, estaduais e municipais que sejam pais ou responsáveis legais por filhos com transtorno do espectro autista (TEA) têm direito à redução de jornada de trabalho desde que comprovem a condição de dependência econômica do filho e assumam as responsabilidades de cuidado.

Trabalhadores sob o regime da CLT têm direito à redução de jornada?

Trabalhadores celetistas não têm direito específico à redução de jornada para cuidar de filhos autistas. No entanto, eles podem buscar essa redução por meio de negociação com o empregador, acordos coletivos ou, em último caso, recorrendo à Justiça. Ainda que não haja uma previsão direta na CLT, é possível argumentar com base em princípios constitucionais e leis correlatas, buscando garantir esse direito.

Qual a porcentagem de redução permitida?

Não há uma porcentagem fixa de redução de jornada especificamente estabelecida na legislação brasileira para pais de crianças com autismo. Geralmente, a redução é negociada caso a caso, podendo ser de 20% até 50%, mas isso pode variar dependendo das circunstâncias individuais e dos acordos realizados entre as partes envolvidas.

Como solicitar a redução de jornada?

É necessário formalizar um pedido por escrito à empresa, indicando os motivos e a necessidade da redução. Geralmente, é preciso apresentar um laudo médico que comprove a condição do filho autista, além de propor uma nova carga horária viável. O processo pode variar de empresa para empresa, mas é importante seguir os trâmites internos e buscar orientação jurídica, se necessário.

Quais são os documentos necessários para o requerimento?

São necessários documentos que comprovem a condição do filho autista, como um laudo médico detalhado, informando o CID (Código Internacional de Doenças) correspondente ao transtorno do espectro autista. Além disso, pode ser exigido um requerimento formal, no qual o servidor ou trabalhador expõe sua solicitação, especificando a necessidade da redução e o prazo desejado para resposta. 

O empregador pode negar o pedido de redução de jornada?

O empregador pode, sim, negar o pedido de redução de jornada. Porém, se o trabalhador se enquadra nos critérios estabelecidos pela legislação e apresenta a documentação necessária, a recusa pode ser considerada injustificada. Nesse caso, o empregado pode buscar orientação jurídica para avaliar as medidas cabíveis, como ação judicial, visando garantir seus direitos.

Entendeu a redução de jornada para pais de autistas?

Como você viu, a redução de jornada para pais de autistas é um direito fundamental que visa proporcionar o suporte necessário para o acompanhamento adequado das necessidades dos filhos. 

No entanto, apesar dos avanços legais, ainda há desafios enfrentados pelos trabalhadores para garantir esse direito, especialmente no setor privado. 

Diante disso, é crucial que as empresas estejam cientes das demandas e necessidades de seus colaboradores, oferecendo flexibilidade e apoio para garantir a conciliação entre vida profissional e familiar.

Investir em um software de controle de horas pode ser uma medida eficaz para auxiliar tanto os empregadores quanto os trabalhadores nesse processo.

Ao facilitar o registro e a gestão das horas trabalhadas, essas ferramentas podem ajudar a garantir o cumprimento dos direitos dos trabalhadores, incluindo a redução de jornada para pais de autistas, ao mesmo tempo em que fornecem dados precisos para a empresa monitorar e otimizar sua produtividade. 

Assim, promover um ambiente de trabalho mais inclusivo e flexível não só fortalece a relação entre empregadores e funcionários, mas também contribui para uma sociedade mais equitativa e acolhedora.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, confira nosso artigo completo sobre software de controle de horas!

Quer simplificar seu DP? É Sólides e Ponto!