Tempo de Leitura: 7 minutos

Aceita uma conversa sincera? A competitividade no trabalho pode parecer “coisa de criança” quando ultrapassa os limites de uma competição saudável. Mas nada acontece por acaso e tudo precisa estar no radar do RH e das lideranças da organização.

Alguns setores são competitivos por natureza, como o de vendas. Outros, lidam com pressões que podem ter origens diversas, inclusive o medo da instabilidade financeira da empresa em um contexto em que layoffs e demissões infelizmente se tornaram mais comuns.

É preciso estabelecer um bom clima organizacional, em que haja um bom relacionamento entre as pessoas para que limites não sejam ultrapassados. O mesmo vale para uma comunicação transparente e para uma série de outros fatores que favorecem o equilíbrio.

Neste artigo, você verá como as lideranças podem gerenciar a competitividade no trabalho de forma a mantê-la em níveis saudáveis e até positivo para o desenvolvimento de cada profissional e os resultados da empresa.

O que é competitividade no trabalho?

Competitividade no trabalho

A competitividade no trabalho é uma dinâmica que faz com que pessoas se esforcem para ter desempenhos melhores. É algo que pode acontecer dentro de uma mesma equipe ou até entre equipes e setores diferentes.

Contudo, embora pareça algo de uma pessoa contra a outra, quando ocorre de forma saudável e equilibrada, essa competitividade faz com que cada profissional deseje superar a si mesmo, e não necessariamente aos seus colegas.

Assim, falamos de algo que, na melhor das hipóteses, estimula as pessoas a encontrar formas de inovar para crescer e alcançar resultados de destaque. Algo que se reflete em chances melhores de progressão na carreira promoções no ambiente de trabalho.

Banner com uma foto escrito em roxo

Entretanto, se a competitividade no trabalho não for estabelecida ou incentivada da forma certa, as coisas podem ir para uma direção oposta da desejada, minar o clima organizacional, oportunizar atritos e prejudicar o desempenho individual e coletivo.

Por essa razão, é importante saber como a competição pode ser ocorrer de forma saudável no ambiente de trabalho.

Confira também os artigos a seguir!

Dicas para que a empresa promova a competitividade no trabalho ocorra da forma certa

A cultura que a empresa dissemina influencia o comportamento das pessoas que compõem seus quadros como um todo.

Com isso em mente, a alta-gestão, o RH e as lideranças precisam pensar a competitividade no trabalho de forma estratégica e intencional e criar oportunidades para que tudo ocorra de forma saudável e positiva. Veja só:

Crie oportunidades de desenvolvimento

Para que as pessoas contratadas entendam que é interessante ter espírito competitivo a fim de superarem a si próprias, a organização pode contribuir criando oportunidades para o desenvolvimento de novas habilidades, sejam soft skills ou hard skills.

Afinal, além da experiência do dia a dia, profissionais se beneficiam de treinamentos, cursos e imersões que favoreçam o aprendizado teórico e prático, capaz de contribuir para que alcancem melhores resultados a cada dia.

Defina um plano de carreira

Para que a competitividade no trabalho seja positiva, tenha um plano de carreira, de cargos e salários que seja baseado em uma política clara e democrática para a ascensão profissional, além da conquista de gratificações.

Isso vai permitir que as pessoas foquem nos seus próprios objetivos de melhoria, tendo consciência da contrapartida possível.

Do contrário, a competição pode se tornar problemática por desconfianças acerca dos motivos para uma promoção e destruir a confiança entre colegas e entre os profissionais e a empresa.

Faça avaliações periódicas de desempenho

Outra dica importante a favor da competitividade no trabalho é conduzir avaliações de desempenho para que cada pessoa receba feedbacks sobre os pontos que precisa melhorar.

Isso contribui para que cada profissional receba a oportunidade de trabalhar seus pontos fracos, se superar e se sair cada vez melhor no exercício de sua função. Algo que cria um movimento positivo em que todas as pessoas têm chances de se desenvolver profissionalmente.

Considere promover premiações ou outras estratégias de reconhecimento

Por fim, a competitividade no trabalho tende a ser saudável quando todas as pessoas têm chances de serem reconhecidas por meio de um sistema justo de avaliação e gratificação.

Além do mais, adotar a distribuição de bônus ou premiações, por exemplo, pode fazer com que as pessoas se sintam mais motivadas a se superar e até a contribuir para que colegas também sejam contemplados.

Como as lideranças podem contribuir para a competitividade saudável no trabalho?

De forma geral, acabamos de ver o que a empresa pode fazer para que a competitividade no trabalho seja positiva. Agora, vamos compartilhar dicas tendo em mente, de forma especial, o papel das lideranças perante suas equipes.

Como você sabe, quem exerce a liderança tem grande influência no clima organizacional e até a capacidade de determinar se o relacionamento entre as pessoas será colaborativo ou competitivo a níveis problemáticos.

Ninguém quer contribuir para um ambiente de trabalho tóxico e improdutivo, certo? Diferente disso, o que se quer é instigar as pessoas a usar a inteligência emocional para produzir mais e melhor, podendo encontrar soluções inovadoras para desafios complexos.

Com base nisso, confira dicas práticas para lideranças que desejam manter o equilíbrio entre competitividade no trabalho e o trabalho em equipe:

Faça com que as pessoas desejem competir consigo mesmas

A competitividade excessiva entre colegas de trabalho tende a muitas desvantagens Por outro lado, a ideia de competir consigo mesmo pode ser mais positiva, uma vez que é capaz de  levar as pessoas a produzir com mais qualidade e superar obstáculos que podem impedir seu progresso.

Banner com fundo roxo e o texto

Trabalhe com metas e OKRs para definir desafios individuais junto aos liderados. Fazer isso pode ajudar a alimentar a chama competitiva enquanto se busca auto aperfeiçoamento, produtividade e crescimento profissional.

Incentive o trabalho em equipe

Para uma competitividade no trabalho que seja saudável, ainda que haja espaço para provocações amigáveis, é fundamental que as pessoas tenham plena consciência de que são uma equipe trabalhando para objetivos comuns.

Isso tende a evitar atritos indesejados e até a criar um ambiente em que as pessoas ajudem as outras a alcançarem seus objetivos individuais. 

O trabalho em equipe eficaz favorece a produtividade e a evolução de todos, além de garantir melhores condições para que a empresa supere seus concorrentes.

Segundo um estudo de Stanford, pessoas que trabalham em equipe em vez de trabalhar sozinhas se dedicam por mais tempo a tarefas difíceis, mostram mais interesse e prazer em trabalhar nas tarefas, exigem menos esforço autorregulatório para concluir as tarefas e têm desempenhos melhores.

Anote essas dicas para lideranças que desejam incentivar o trabalho em equipe:

  • aposte na diversidade e na inclusão ao montar suas equipes
  • defina claramente as funções e responsabilidades de cada membro da equipe;
  • incentive uma comunicação interpessoal clara e frequente;
  • autonomia às equipes na tomada de decisões;
  • gerencie as reuniões com foco.

Estimule a troca de feedbacks

Uma liderança precisa dar o exemplo das atitudes que deseja ver no time e quando o assunto é feedback a história não é diferente. 

É importante lembrar que o objetivo de um feedback deve ser sempre a melhoria e que a forma como erros e acertos são abordados impacta o moral e o engajamento individuais, além de favorecer ou não uma competitividade no trabalho saudável.

Além de ter isso em mente ao abordar cada pessoa de sua equipe, as lideranças também podem orientar esses profissionais acerca da melhor maneira de fornecer feedbacks direcionados à própria liderança ou a colegas.

É importante que o feedback tenha os seguintes pontos:

  • propósito;
  • clareza;
  • gentileza;
  • que seja baseado em fatos e acontecimentos, não em achismos;
  • que passe confiança. 

Baixe os materiais gratuitos a seguir!

Mostre que você confia na equipe

É comum que a competitividade no trabalho decorra da falta de confiança profissional. Sendo assim, ao perceber que uma pessoa da equipe se sente insegura sobre suas habilidades ou competências, tente trabalhar ativamente para mostrar que você acredita em seu potencial.

Isso inclui exaltar acertos, identificar e destacar pontos fortes e sugerir como podem ser usados para contornar dificuldades e levar a melhores resultados.

Ainda, caso a equipe como um todo demonstre insegurança não só em relação à liderança, mas à organização, aposte na transparência acerca de questões relevantes como o momento da empresa, sobretudo diante de situações críticas ou de crise.

Estimule o aperfeiçoamento das habilidades

Outra maneira de evitar o excesso de competitividade no trabalho é incentivar que cada pessoa foque em melhorar a si mesma profissionalmente. 

Esforços de autoaperfeiçoamento andam de mãos dadas com atividades de construção de confiança. Sendo assim, lembre-se de dar feedbacks sobre áreas de melhoria, incentivar a superação das fraquezas e o aprendizado de novas habilidades.

Faça com que cada profissional reconheça seus valores e trabalhe para aumentá-los. Isso vai evitar situações de competição com os demais colegas de trabalho.

A ideia é fazer com que toda a equipe enxergue nos feedbacks uma oportunidade para se desenvolver, ao invés de recebê-los com desânimo e descrença em si ou como um convite para a competitividade problemática.

Uma boa estratégia é a implementação de um Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) com indicações de cursos, treinamentos e atividades ao longo de determinado período.

Reconheça seus colaboradores 

Quando foi a última vez que você reconheceu os membros da sua equipe de forma pública e intencional?

Experimente fazer isso através de e-mails, mensagens nos grupos de trabalho, reuniões e plataformas de interação. Isso esbarra nos tópicos que já citamos anteriormente como a construção de confiança e a troca de feedbacks

Se você é líder ou trabalha na área de gestão de pessoas, chegou a hora de entender sua responsabilidade na construção de um ambiente mais colaborativo e menos competitivo. O clima organizacional e o engajamento da empresa só têm a ganhar.

Tenha a competitividade no trabalho como aliada!

Entender como gerir a competitividade no trabalho de forma a incentivar a busca pelo desenvolvimento individual ao invés de uma competição desmedida é crucial.

Falamos de algo capaz de guiar a evolução profissional das pessoas e a conquista de resultados para a empresa.

Com base no tudo que explicamos, fazer isso tem tudo a ver com entender como lideranças podem se relacionar de forma positiva com suas equipes e como incentivar que as pessoas se relacionem bem como parte dessas equipes.

Por essa razão, fica a sugestão para que você baixe agora nosso e-book gratuito sobre bem-estar no trabalho e compreenda como garantir um ambiente saudável e aumentar os lucros da empresa!

Com a Sólides Ponto o fechamento da folha é: rápido e seguro