Tempo de Leitura: 17 minutos

Provavelmente você já ouviu falar sobre o cartão corporativo, não é mesmo? No cenário atual, a gestão correta das despesas da empresa é essencial para manter o orçamento sempre ajustado e ter todo o controle financeiro da forma mais eficiente possível.

Uma das ferramentas mais usadas como solução das finanças é o cartão corporativo. Neste artigo, vamos apresentar todos os detalhes para a administração correta dos gastos em sua empresa e como usar esse cartão na organização e transparência dos recursos vai viabilizar processos e garantir mais sucesso financeiro.

A seguir, você vai saber:

E aí, deseja melhorar as finanças da sua empresa? Então, continue a leitura deste artigo e fique por dentro de todas as vantagens e funcionalidades do cartão corporativo.

O que é cartão corporativo?

Presente em diferentes setores privados e públicos, o cartão corporativo é uma ferramenta para gestão que facilita o controle dos gastos com produtos e serviços. Trata-se de um cartão para empresas destinado aos funcionários e prestadores de serviços que precisam realizar compras, pagamentos e despesas específicas.

É utilizado para serviços como:

  • viagens de trabalho;
  • gastos com materiais;
  • serviços terceirizados;
  • encontros com clientes e sócios;
  • entre outros serviços.

O cartão corporativo pode ser de débito ou crédito, a depender da escolha administrativa da empresa, e possibilita a concentração de todas as despesas em um único meio de pagamento. 

Banner roxo escuro com o texto

Além disso, é uma ferramenta que facilmente pode ser adotada tanto em pequenas empresas quanto em grandes corporações.

Independentemente se o pagamento será feito a vista ou será pago em uma fatura posterior, o cartão corporativo garante alguns benefícios, como:

  • reduz as burocracias nos procedimentos de prestação de contas;
  • resolve o problema com reembolso de despesas;
  • facilita o monitoramento dos gastos;
  • possibilita mais segurança nas transações financeiras.

Para pequenas empresas ou microempreendedores individuais (MEI), o cartão corporativo é uma maneira de diferenciar os gastos pessoais da pessoa física e os da empresa, o que traz mais organização no dia a dia, bem como facilita na hora de realizar o imposto de renda, por exemplo.

Já para empresas, o cartão é usado, geralmente, por colaboradores que precisam realizar viagens a trabalho para conhecer fornecedores, clientes ou realizar parcerias. Ou seja, é fundamental para arcar com os custos. Entretanto, não inclui compras pessoais.

Saúde financeira e bem-estar no trabalho: Estratégias para melhorar a produtividade dos colaboradores e impactar os resultados do seu negócio, 27 de fevereiro de 2024 10h às 12h

O que diz a lei sobre o cartão corporativo?

O que diz a lei sobre o cartão corporativo

É importante que as empresas e os gestores saibam que qualquer gasto para fazer o trabalho, como uma viagem a serviço, por exemplo, não pode trazer encargos para o funcionário. 

Essa afirmativa é respaldada pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), no artigo 457, que estabelece que as diárias de viagens, quando excederem 50% do salário do colaborador, não configuram como pagamento salarial e não incidem encargos trabalhistas.

Por outro lado, cabe ressaltar que os benefícios corporativos pagos em dinheiro, quando não devidamente registrados e tributados, podem ser considerados práticas não previstas na legislação trabalhista, o que pode gerar processos trabalhistas contra a empresa. 

O artigo 458 da CLT define o que compõe a remuneração do empregado, detalha que, além do salário, são consideradas remunerações alguns benefícios fornecidos pelo empregador ao empregado, como alimentação, habitação e outras prestações “in natura”. Veja:

Art. 458 – Além do pagamento em dinheiro, compreende-se no salário, para todos os efeitos legais, a alimentação, habitação, vestuário ou outras prestações “in natura” que a empresa, por fôrça do contrato ou do costume, fornecer habitualmente ao empregado. Em caso algum será permitido o pagamento com bebidas alcoólicas ou drogas nocivas. (Redação dada pelo Decreto-lei nº 229, de 28.2.1967)”

Por esse motivo, o uso do cartão corporativo é considerado uma prática segura para evitar irregularidades e problemas futuros

Assim, os trabalhadores designados pela empresa para realizar compras e pagamentos poderão fazer com a garantia de que aquele valor é parte dos custos da empresa, sem a necessidade de ressarcimento ou outro pagamento.

Leia também:

Atenção: cuidado para não confundi-lo com o cartão corporativo do governo federal! 

Existe uma certa confusão muito comum entre cartão corporativo usado em empresas e o cartão corporativo do governo federal. De imediato, vale frisar que são cartões diferentes, com regulamentações e funcionamentos específicos para cada setor. Veja:

Qual a diferença entre cartão corporativo do governo (CPGF) e cartão corporativo empresarial

As compras de produtos e serviços para a presidência são feitas com o Cartão de Pagamento do Governo Federal (CPGF), frequentemente referido como cartão corporativo. É um mecanismo de pagamento que funciona desde os anos 1990 no Brasil.

O CPGF foi criado para substituir o uso de cheques e outras transações, proporcionando maior controle sobre os recursos governamentais. Embora o presidente seja o titular, outros servidores públicos autorizados também podem utilizá-lo. 

Além disso, é usado principalmente para suprimentos de fundos, adiantamentos para despesas como consertos, reparos, alimentação, viagens e outros serviços estipulados em lei que não podem esperar pelo processo regular de aquisição ou pagamento.

Diferentemente do cartão corporativo para empresas, que pode ser empregado no pagamento de materiais, alimentação, compra de insumos, serviços extras e outras despesas conforme a administração delimitar nas políticas internas. 

Ou seja, a diferença entre o cartão corporativo de empresas e o do governo federal ocorre principalmente em sua finalidade e regulamentação

Enquanto o Cartão de Pagamento do Governo Federal é para despesas governamentais, com restrições claras e definidas por lei, o cartão corporativo é adaptado às necessidades e políticas internas de cada corporação, focando nas despesas operacionais diárias. 

Os dois buscam otimizar e controlar gastos, mas cada um deles é aplicado para contextos e regras bastante distintas.

Qual a diferença entre cartão corporativo e cartão de benefícios?

Fique atento às diferenças entre cartão corporativo e cartão de benefícios para evitar confusões na empresa. O cartão corporativo é utilizado estritamente para compras e serviços que envolvam as atividades da empresa. Logo, esse meio de pagamento deve ser exclusivo para despesas internas.

Já um cartão de benefícios dado aos funcionários é direcionado à alimentação, à refeição e ao transporte, por exemplo. Com isso, é possível realizar o pagamento de determinado serviço para benefício próprio. 

É um tipo de cartão que não faz parte do salário recebido, mas entra nos benefícios que a empresa oferece para os colaboradores como uma espécie de incentivo.

Há também o cartão de multibenefícios, que pode ser usado com atrações culturais, serviços educacionais, atividades home office, serviços de saúde, auxílio farmácia, entre outros que variam conforme a empresa.

Antes de continuarmos, quer saber mais sobre o que são os benefícios corporativos? É só assistir ao vídeo a seguir e, claro, inscrever-se no canal da Sólides Tangerino:

Qual a diferença entre cartão corporativo e cartão empresarial?

Outra dúvida muito comum é em relação ao cartão empresarial, eles são iguais ou há diferenças? A resposta é que o cartão corporativo é bastante semelhante ao empresarial, no entanto, há características que diferem entre os benefícios deles

O cartão empresarial é voltado para corporações, ou seja, para pessoas jurídicas (PJ), em razão dos benefícios oferecidos, tais como tarifas e atendimento. 

Pode ser de crédito ou débito, o que vai depender da escolha da empresa. Em geral, o cartão empresarial é direcionado para grandes corporações cujos faturamentos são altos. 

Já o cartão corporativo, por sua vez, pode ser feito por microempreendedores (MEI) para facilitar a separação do que é gasto com o trabalho e o que é para uso pessoal. 

Tipos de cartão corporativo

O cartão corporativo possui dois tipos, com qualidades e vantagens específicas. São eles:

  • Cartão pré-pago
  • Cartão pós-pago

Nesse sentido, a seguir, vamos explicar as principais diferenças em cada um dos modelos.

Aproveite a visita e confira alguns materiais gratuitos que separamos para você:

Cartão corporativo pré-pago x pós-pago: quais são as diferenças?

O cartão pré-pago é semelhante ao funcionamento de um cartão de débito normal, ou seja, a empresa realiza um depósito para ter um determinado saldo em conta, com o qual são realizadas compras e pagamentos. 

Esse tipo de cartão possibilita um controle mais específico de quanto pode ser gasto em um mês ou determinado período de tempo. Com um valor em conta, a empresa consegue:

  • ter um planejamento das contas;
  • saber quanto há de saldo disponível;
  • planejar quando será a próxima recarga;
  • alinhar os gastos. 

Uma das principais vantagens desse cartão é evitar o descumprimento do pagamento, uma vez que não é possível extrapolar nos gastos e não há boletos a serem cobrados no mês seguinte.

As recargas dos cartões pré-pagos são feitas por meio de saldo disponível na conta ou com a transferência de uma conta para outra. Além disso, é possível recarregar com o pagamento de um boleto bancário no valor desejado para o saldo ou ainda por depósito bancário.

Já o cartão pós-pago é um modelo semelhante ao cartão de crédito habitual e tem como característica o pagamento após a compra em uma fatura mensal. Além disso, conta com limite específico de gastos e precisa ser bem ajustado para evitar gastos acima do limite.

Esse tipo de cartão exige um controle mais detido sobre os gastos, com todas as faturas em relatórios e um orçamento bem detalhado, a fim de que não gere contratempos para arcar com o pagamento. 

O que é pagamento corporativo?

pagamento corporativo

Ao realizar algum tipo de pagamento pela empresa ou em nome da corporação, considera-se que é um pagamento corporativo. 

Ou seja, quando ocorre a compra de algum item ou a retribuição financeira de um serviço prestado para que as atividades da empresa aconteçam, trata-se de um pagamento corporativo.

Esse pagamento pode ser efetuado para um fornecedor de suprimentos, outra empresa ou a um serviço terceirizado. 

Alguns exemplos de gastos que podem ser considerados pagamentos corporativos, são:

  • móveis de escritório;
  • produtos para limpeza;
  • materiais comuns para o dia a dia (papelaria, equipamentos…);
  • recomposição de itens para armazenagem;
  • entre outros. 

Configura-se também como pagamento corporativo o uso do cartão em viagens de trabalho, pagamento de comissões, realização de café da manhã com consumidores e outros gastos com despesas para realização das funções na empresa. 

Além disso, é essencial que tudo que for considerado como pagamento corporativo precisa estar especificado na política de gastos da empresa.

Como o cartão de crédito corporativo funciona?

Como o cartão de crédito corporativo funciona

Como você já sabe, o cartão de crédito corporativo tem um mecanismo semelhante aos cartões de crédito de uso pessoal. Isso significa que há limite, fatura, tarifas, data de vencimento e dia de melhor compra. 

O funcionamento do cartão corporativo depende dos objetivos de cada empresa. Pode ser que exista a necessidade de ter um cartão direcionado a todas as despesas ou pode ser um cartão apenas para pagamento de despesas com combustível de veículos a trabalho, por exemplo. 

Por esse motivo, é fundamental ter uma ótima gestão contábil na empresa antes de definir qual cartão corporativo será implementado.

Assim, a empresa consegue fazer as contas de tudo que foi gasto no mês e realizar o pagamento direto para a empresa do cartão, eliminando, assim, reembolsos e outras burocracias. Isso economiza tempo e outras etapas morosas no dia a dia da administração.

Há cartão de crédito corporativo que oferece vantagens à empresa com pontuações ou milhas conforme a quantia gasta. Dessa forma, a bonificação é convertida em passagens de avião ou outros bens para a empresa. Então, vale verificar as possibilidades de conversão dos gastos em pontos.

Mas fique atento! O cartão de crédito deve ser usado com cuidado e planejamento para evitar endividamento e gastos além do necessário. A política de gastos necessita de atenção dos gestores e de uso para fins específicos, e não para itens supérfluos e desnecessários.

O que pode ser comprado com cartão corporativo?

Quem define o que pode ou não ser comprado com o cartão corporativo é a empresa. A administração precisa planejar os gastos e o orçamento disponível, além de elaborar documentos para orientar todos os colaboradores autorizados com as despesas permitidas e aquelas que configuram como gastos pessoais.

O ideal é sempre ter uma política de gastos ajustada conforme as necessidades da empresa. Por isso, o cartão corporativo vem para auxiliar nesse processo, o qual deve ser empregado especificamente para custos internos de desenvolvimento das atividades da empresa.

Cartão corporativo é interessante na gestão para gastos com combustível dos veículos ou o aluguel de carros para viagem, por exemplo. 

Com a Sólides Ponto o fechamento da folha é: rápido e seguro

Outros exemplos de pagamentos corporativos, são:

  • pagamento de capacitações para colaboradores;
  • custeio de viagens;
  • compra de computadores;
  • itens de informática usados na realização do trabalho home office;
  • assinatura de softwares empregados na realização de atividades;
  • entre outros.

Além disso, para a criação de campanhas publicitárias, o setor de comunicação da empresa pode precisar de softwares específicos para a criação de materiais audiovisuais. 

Com isso, a compra de programas como o pacote Adobe, que inclui o conhecido Photoshop, por exemplo, pode ser realizada com o cartão corporativo.

Entretanto, é válido salientar que os gastos com tarefas de trabalho não podem ser arcadas pelo trabalhador. Assim, a empresa precisa ter o planejamento ideal para cobrir todos os custos, os equipamentos e outras despesas que se fazem necessárias.

Qual é o limite do cartão corporativo?

Uma dúvida recorrente é a respeito do limite do cartão corporativo. Qual é o valor que cada funcionário pode ter? É o banco que atribui o limite ou é a empresa? Essas perguntas costumam gerar dúvida nos gestores das empresas. 

O limite do cartão corporativo é definido exclusivamente pela empresa conforme o que deve ser gasto e diante do orçamento disponível. Vale entrar em contato com a instituição financeira responsável pelo cartão e verificar as possibilidades disponíveis.

O que não pode ser comprado com cartão corporativo?

O que não comprar com cartão de corporativo

Vamos supor que um colaborador da sua empresa tenha realizado uma viagem a serviço para outro estado e queira trazer um presente ou uma lembrancinha para alguém. Esse tipo de gasto é de ordem pessoal e, portanto, não pode ser feito, em nenhuma hipótese, com o cartão corporativo.

Produtos para uso pessoal, como itens de beleza e vestuários, gastos com atividades de lazer ou até mesmo abastecer o próprio carro não podem ser efetuados com o cartão corporativo. Há empresas que permitem a compra, por exemplo, de produtos de higiene durante uma viagem. 

No entanto, tudo que pode ou não ser comprado deve ser explicitamente salientado pelo setor responsável da empresa. Por esse motivo, para evitar dúvidas, ruídos e erros, é importante que cada empresa estabeleça uma política de gastos para gestão dos recursos. 

Ou seja, mesmo que seja uma viagem a trabalho, o colaborador precisa estar ciente de quanto pode gastar com alimentação e hospedagem, quais compras são asseguradas pelo cartão corporativo e outros detalhes quanto ao limite a ser gasto.

Ter esses pontos bem delineados evita constrangimentos e traz mais segurança para todos no momento de realização de qualquer tipo de pagamento com o uso do cartão corporativo. 

Deixe sempre evidente o que se enquadra como gasto pessoal e que deve ser arcado pelo próprio colaborador, sem qualquer ônus para a empresa. 

Por que a empresa deve oferecer um cartão corporativo?

O oferecimento de um cartão corporativo para determinados colaboradores favorece a praticidade no cotidiano de trabalho, bem como reduz os processos burocráticos para liberação de recursos e compras simples. 

Pense em uma situação comum como o fim de um cartucho de tinta da impressora. Se não houvesse um cartão corporativo, o funcionário precisaria comunicar ao seu gestor para que fizesse a solicitação da compra e, assim, a abertura do processo até a aquisição de um novo cartucho. 

Até que todas essas etapas fossem executadas, o serviço seria prejudicado pela demora na substituição do dispositivo. Com o cartão à disposição para essas despesas, basta o responsável fazer a compra e depois, se for o caso da cultura da empresa, prestar contas do que foi gasto.

Essa ferramenta funciona como um meio de controle e possibilita ter extratos em tempo real do que foi comprado e pago. Além disso, traz mais segurança para quem usa, uma vez que não precisa ter quantias em espécie e evita riscos de se sair com dinheiro. 

Outro motivo é que os mecanismos de segurança dos cartões também facilitam o contato com a instituição financeira sempre que houver qualquer contratempo ou situação que exija o cancelamento de uma compra. 

Principais vantagens do cartão corporativo para o negócio

O cartão corporativo é um aliado para o controle financeiro da empresa. Entre as vantagens para o negócio, destacam-se:

  • transparência;
  • evita fraudes e possibilita identificar quando, onde e quem fez uma compra;
  • segurança das transações bancárias;
  • controle total das despesas dos colaboradores e centralidade dos gastos;
  • facilidade para gerar relatórios detalhados;
  • planejamento do orçamento;
  • identificação de itens a serem economizados e ajustados;
  • controle imediato do que é comprado a partir dos extratos online;
  • aumenta a motivação dos colaboradores com a empresa.

Vantagens do cartão corporativo para os funcionários

benefícios do cartão corporativo

Para os funcionários, o cartão corporativo traz muitas vantagens como:

  • rapidez para compras de produtos do dia a dia da empresa, sem precisar de processos burocráticos;
  • reduz o estresse financeiro;
  • flexibilidade durante viagens e serviços fora da empresa;
  • diminui as incertezas se uma determinada compra será ressarcida ou não.

Quem pode usar cartão corporativo?

O cartão corporativo pode ser usado por qualquer colaborador autorizado a realizar compras para a empresa e isso vai depender do que foi definido pela corporação.

O recomendado é que o cartão corporativo seja utilizado por um número limitado de pessoas para evitar que compras e pagamentos sejam feitos à revelia. Outro ponto é que cada setor tenha seu próprio cartão corporativo.

Sendo assim, a emissão pode ser feita em nome do funcionário ou pode ser em nome do gestor do setor, ou departamento. Além disso, há setores que podem precisar de recursos específicos para realização dos trabalhos. 

Por esse motivo, cabe à empresa avaliar como vai funcionar o uso dos cartões, quais setores terão os seus e se vai ser um por colaborador ou por setor.

Como escolher o melhor cartão corporativo?

como escolher

Antes de decidir em qual instituição financeira vai solicitar o cartão corporativo, vários fatores devem ser considerados para garantir que a escolha atenda às necessidades financeiras e operacionais da organização.

Por meio de relatórios e cálculos, a gestão pode traçar um panorama do que é essencial e o que pode ser evitado. Sabendo disso, confira os principais pontos a serem observados na hora de escolher um cartão empresarial:

Taxas e tarifas

O cartão a ser escolhido deve ser avaliado considerando as tarifas e taxas associadas. O objetivo é que o cartão não se torne um gasto adicional, mas sim uma ferramenta de organização financeira. 

Sendo assim, ao pesquisar a instituição financeira, opte por aquelas que não cobram anuidade, tarifas adicionais ou pagamentos por serviços extras.

Conheça os benefícios

Prefira também um cartão corporativo que ofereça benefícios ao realizar pagamentos, tais como o acúmulo de milhas, cashback ou pontuações para trocas futuras por serviços e produtos.

Entenda a diferença entre cartão pré e pós-pago

Cartões pré-pago, ou seja, aqueles que funcionam como débito, costumam ter tarifas de manutenção. As mais comuns são cobradas para realização de saques e transações bancárias a partir de uma determinada quantidade. 

Outras despesas que podem ser cobradas envolvem taxas para realizar recargas, emissão de mais cartões ou para utilização em países do exterior. Verifique tudo que pode ser cobrado para não existir nenhuma surpresa ou cobrança extra.

No mercado, os cartões pós-pagos têm, na maioria das vezes, cobranças mais altas de tarifas, juros e taxas bancárias. Logo, se sua intenção é manter um valor máximo, com menos despesas cobradas pelas instituições financeiras e não ter que pagar faturas todos os meses, opte por um cartão pré-pago.

Confira também:

Verifique a quantidade e flexibilidade

Na hora de escolher o cartão, veja também a quantidade de cartões oferecidos e se o número é compatível com a realidade financeira da empresa. Saiba se há possibilidade de emissão de cartões virtuais, que podem facilitar os pagamentos online.

Bandeira do cartão

Escolha por uma bandeira, que seja aceita no maior número de estabelecimentos, tais como Visa e Mastercard. 

Assim, as compras conseguem ser feitas sem problemas no Brasil ou até mesmo no exterior. Observe ainda se existe um valor mínimo para recargas em cartões pré-pagos. 

Como gerenciar os gastos do cartão corporativo?

auditoria

O gerenciamento do cartão corporativo é uma tarefa central para que a empresa mantenha a estabilidade e tenha transparência em todas as contas. Para tanto, uma política de gastos internos precisa ser desenvolvida com precisão e colocada em prática para o conhecimento de todos os envolvidos no cartão corporativo.

Após um mapeamento das contas e de definição da política, mostre aos colaboradores o que podem e o que não podem gastar ao usar o cartão. Exija a prestação de contas quando houver gastos, isso torna o processo ainda mais transparente. 

Além disso, existem outras estratégias para gerenciar os gastos, como:

  • Categorize as despesas: realize uma categorização das despesas, deixando definido quais pagamentos são prioritários e essenciais e quais podem ser parte tidos como despesas variáveis.
  • Defina os processos: uma prática que favorece o gerenciamento dos gastos é manter a comunicação interna como forma de adequar as necessidades das pessoas e entender como os procedimentos devem acontecer com clareza.
  • Boa comunicação entre os setores: manter a interação entre os setores administrativos e demais colaboradores é uma forma de garantir que as atividades transcorram da forma mais correta possível.
  • Acompanhe as entras e saídas de recursos: o cartão corporativo deve ser um aliado, e não pode ser usado com descontrole ou além do que é estabelecido no orçamento.
  • Realize auditorias: por meio delas é possível mapear os fluxos de gastos e lucros, bem como permite a prestação de contas e a transparência na gestão.
  • Prestação de contas: para um controle preciso, mesmo que o cartão ofereça um relatório ou um extrato detalhado, deve-se pedir aos colaboradores que façam a prestação de contas do que gastaram, quando e onde.
  • Utilize softwares de gestão financeira: o auxílio desse tipo de ferramentas no dia a dia evita erros comuns de cálculos, autonomiza os processos e possibilita a digitalização de documentos.
  • Conte com relatórios: por meio dos softwares é possível gerar relatórios detalhados para a gestão eletrônica de documentos.

Ao gerenciar os gastos por meio dessas estratégias, o controle é feito com mais rapidez e agilidade, além de permitir que relatórios sejam gerados com mais detalhamentos e facilitar a organização dos documentos sem arriscar perdê-los ou danificá-los. 

Por fim, torna-se mais fácil e prático identificar os erros ou as situações que precisam de ajustes para as finanças.

7 dicas de boas práticas para implementar o cartão corporativo na sua empresa

Boas práticas de uso do cartão empresarial

Diante das necessidades internas da empresa, é preciso que haja boas práticas no uso do cartão corporativo. Para ajudar nesse processo de administração, vamos listar algumas dicas a seguir que podem ser implementadas.

1. Teto de gastos

Assim como os governos estabelecem um limite sobre quanto pode ser gasto, as empresas também precisam considerar o teto de gastos. Ter um máximo previsto em orçamento evita surpresas com gastos extras e ainda impede que compras sejam realizadas sem necessidade.

Outra razão para se ter um teto de gastos com o uso de cartão corporativo é conseguir definir quanto cada colaborador autorizado pode gastar, com quais serviços e produtos, entre outros pagamentos corporativos.

Os cartões pré-pagos oferecem esse controle mais preciso. Com um valor em saldo, é possível saber quanto se tem e ajustar as despesas mensais para caber dentro do orçamento.

2. Cartão virtual

Além de facilitar no dia a dia, o cartão virtual é uma medida de segurança que favorece a realização de compras em plataformas on-line. Seu uso é semelhante ao cartão convencional, o que possibilita pagar compras de forma parcelada com o crédito.

Há também cartão virtual com a função de débito. Para tanto, é preciso que haja saldo na realização de pagamentos corporativos. Verifique com a instituição financeira se essa opção está disponível e implemente em compras e pagamentos corporativos realizados pela internet.

3. Unifique gastos em apenas um lugar

Ao reunir gastos em apenas um cartão corporativo, é possível ter maior controle do que é gasto e centralizar as despesas. 

Além de reduzir contratempos com pagamentos corporativos, essa unificação garante uma análise mais acurada do que é comprado, o que precisa ser pago, para a realização de auditorias e elaboração de relatórios, bem como permite um olhar atento ao que entra e sai da empresa.

Uma das vantagens é ter um único meio de pagamento, o que facilita no dia a dia da empresa. A gestão do cartão também é feita com mais facilidade por meio de aplicativos e sites, dando mais autonomia administrativa e digitalizando processos.

4. Contabilidade e auditoria

Como você percebeu, os processos de contabilidade se tornam mais rápidos e seguros com o cartão corporativo. Portanto, há mais organização nas contas e amplia a visão sobre a empresa.

A partir do uso do cartão corporativo, implemente também práticas frequentes que envolvam relatórios e detalhamentos da contabilidade de sua empresa.

Para saber mais detalhes sobre como funciona uma auditoria trabalhista do DP, aperte o play:

5. Desative a opção saque

Há cartões que disponibilizam a possibilidade de sacar o saldo em caixas eletrônicos, como no Banco 24Horas. No entanto, esse é um recurso que pode facilitar fraudes e desvios de valores. 

Logo, ao contratar o cartão, peça a desabilitação da função para a instituição financeira. Se isso não for possível, inclua na política de gastos que esse tipo de função só pode ser usada em situações emergenciais e com justificativa plausível mediante à prestação de contas.

6. Tenha critérios na distribuição do cartão

A recomendação para distribuição do cartão corporativo é que seja direcionado apenas para colaboradores cujas funções e atribuições exijam gastos internos. Muitas vezes, grandes corporações direcionam o cartão para executivos e diretores, frente às tarefas realizadas por eles e a necessidade de viagens. Utilize critérios específicos para dar o cartão e mantenha o controle de quem tem acesso.

7. Atualize as políticas de gastos conforme o orçamento

É imprescindível que a política de gastos seja um documento de fácil acesso, com linguagem explicativa e detalhamento. Ofereça aos colaboradores treinamentos e oficinas para que estejam a par de tudo que a empresa determinou como medidas administrativas.

A atualização da política de gastos precisa ser conduzida sempre que acontecer qualquer problema com gastos, despesas extras ou novos orçamentos. No entanto, em cada atualização, avise a todos os colaboradores envolvidos no uso do cartão corporativo. 

Essa é uma prática que mantém as despesas controladas e os envolvidos cientes das necessidades.

Os benefícios e as funções do cartão corporativo vão proporcionar crescimento para sua empresa. Ter todos os gastos centralizados, bem como a gestão e o detalhamento dos pagamentos, facilita o desenvolvimento da organização.

Próximos passos…

Agora que você já sabe tudo sobre cartão corporativo, confira nosso post sobre gestão de benefícios para saber todas as vantagens e detalhes para aplicar na administração de sua empresa e potenciar o crescimento no mercado.

Para modernizar seu DP sem complicações, Sólides Ponto