Tempo de Leitura: 15 minutos

“Por que você gostaria de trabalhar na nossa empresa?”. Essa é uma pergunta comum em processos seletivos em que o setor de Recursos Humanos, responsável pelo recrutamento, busca encontrar profissionais entusiasmados esperando melhorar a motivação no trabalho. Mas, e se faltar?

Profissionais que se sentem desanimados passam o dia tentando fugir de suas tarefas e com a mente longe, lá no final de semana.

Diversos fatores podem contribuir para a falta de motivação. Entre eles, estão a inexistência de um plano de carreira, o que deixa o trabalhador sem perspectivas para o futuro, o clima organizacional, o salário e o exercício de uma função pouco desafiadora.

Seja qual for a razão da falta de estímulo, para revertê-la, o RH e as lideranças de uma empresa precisam conhecer as ideias que separamos para melhorar a motivação no trabalho. Confira!

O que é motivação no trabalho?

A importância da motivação no trabalho

Motivação no trabalho é o sentimento que move todas as ações do profissional no ambiente de trabalho e está ligada à vontade de se manter naquele emprego

É o desejo de cumprir metas e atingir bons resultados, tanto por questões internas, quanto por estímulos externos. 

Planilhas de RH e DP

A motivação no ambiente de trabalho é um componente muito importante da dinâmica organizacional. No entanto, ela é muitas vezes rara em diversas empresas. 

Ela influencia diretamente o comportamento do indivíduo no trabalho, se relacionando profundamente com comprometimento dos funcionários com as tarefas laborais. 

Então, quanto mais motivado um profissional está, melhor ele vai desempenhar suas funções e mais alta será sua produtividade.

Se, por exemplo, a uma equipe de vendedores é prometida uma celebração caso as metas sejam batidas, essa é a motivação que eles terão para chegar lá. Do mesmo modo, um time de CS pode se sentir motivado a bater as metas para alcançar uma promoção.

Portanto, a motivação é natural em todos nós, ela precisa apenas ser ativada e trabalhada constantemente no ambiente corporativo para que as pessoas não entrem na zona de conforto. 

E em mercados cada vez mais competitivos, é essencial que os colaboradores exerçam a proatividade e façam o melhor trabalho

Porém, isso não será feito apenas porque os gerentes pedem, deve ser uma atitude natural de todos os membros da organização.

Claro que isso é muito desafiador, pois as equipes devem seguir buscando novas soluções para os problemas de sempre. Afinal, os incentivos que, hoje, agradam os funcionários podem não agradar mais amanhã.

Por isso a importância de consultar o quadro de funcionários — por meio do eNPS — a fim de saber o que os colaboradores mais querem, ou seja, o que mais poderá mantê-los motivados durante o trabalho.

A falta de conhecimento do que pode motivar colaboradores ou não é algo comum de ser encontrado nas empresas. E, por mais incrível que pareça, ela pode se tornar uma aliada para implementar a motivação no ambiente de trabalho.

Por que é importante manter a motivação no trabalho? 

A motivação no trabalho é um dos fatores mais importantes para o reconhecimento e crescimento dos funcionários de uma empresa, além de aumentar a sinergia entre outros colaboradores e a produtividade na execução de tarefas.

Apesar de algumas empresas ainda não aplicarem ações desse tipo, elas são fundamentais para que diversos gestores possam gerir e reter talentos no ambiente corporativo. 

Afinal, a retenção é tão importante quanto a captação, pois faz com que as melhores pessoas permaneçam na empresa e cresçam junto com ela.

Nesse processo de motivação no ambiente de trabalho, é importante que o gerente saiba, sempre, quais são os grupos e funcionários com melhor desempenho em suas tarefas, podendo, desta forma, identificar por onde começar incentivos por meio do reconhecimento.

Conversar com os gerentes ou líderes de cada grupo individual de uma empresa é uma boa tática para impedir que os profissionais que merecem motivação passem desapercebidos.

Implementando as estratégias e checando seus resultados, os gerentes se acostumam cada vez mais a identificar oportunidades para promover a motivação no ambiente de trabalho, adquirindo mais segurança e habilidades na prática das ações.

Seja o reconhecimento feito por e-mails, cartas de incentivo, premiações simbólicas ou bônus financeiros, vale ressaltar que o funcionamento das estratégias traz bons resultados e informações para aperfeiçoar cada vez mais as técnicas. 

Acompanhe agora algumas das vantagens do estímulo de um ambiente motivador:

Redução do turnover

Um grande benefício da motivação no ambiente de trabalho é a redução de turnover. Em um ambiente produtivo e salutar, o profissional se sente mais seguro e praticamente elimina pensamentos de saída da empresa.

Vale ressaltar que os gastos com rotatividade são altos, além do tempo desperdiçado na busca de novos perfis que se adéquem ao alinhamento estratégico da organização.

Sem mencionar que o aumento de turnover possibilita a perda de um talento que pode ser extremamente útil para a evolução da organização. Portanto, manter um ambiente motivado garante estabilidade da equipe de trabalho.

Retenção de talentos

Um ambiente motivador favorece a evolução e o desempenho. Os mais talentosos gostam de estar em ambiente desafiador com um bom clima organizacional e base para crescimento.

Captar e reter talentos é uma das melhores estratégias para formar equipes incríveis e alcançar resultados expressivos. Um ambiente estressante e improdutivo afasta esse perfil.

Mais produtividade e mais resultados. Esses fatores já são alcançados por si só em um ambiente motivador. 

Quando esse ambiente é composto por talentos, esse engajamento é potencializado e a organização alcança diferenciais expressivos.

Aumento da produtividade

Em muitos casos tudo pode estar funcionando corretamente com bons salários e benefícios, além de bons recursos de trabalho. Porém, os resultados podem não estar agradando simplesmente por falta de motivação.

No conceito de RH estratégico, as pessoas são peças centrais na evolução da organização e considerar isso é fator primordial para o aumento da produtividade dos colaboradores.

Portanto, não deixe de motivar sua equipe. Trabalhe essa demanda não como um gasto, mas um investimento para gerar resultados melhores e diminuir custos futuros com outras estratégias.

Crescimento e desenvolvimento dos talentos

O desenvolvimento dentro do ambiente de trabalho aumenta a confiança do colaborador. Dessa forma, são grandes as chances de ele superar expectativas e evoluir junto com a organização.

Esse crescimento profissional pode se transformar em crescimento pessoal e outras pessoas observarão o valor da empresa nesse aspecto. 

Com o lado pessoal bem definido e desenvolvido, o colaborador tende a entrar em um ciclo de crescimento constante. Isso faz com que ele gere benefícios tanto para si mesmo como para a empresa. O principal deles para as empresas é a retenção de talentos.

Otimização de tempo

Um dos benefícios mais marcantes é a redução de tempo para a realização de tarefas. Um colaborador motivado tende a ser muito mais rápido e preciso na execução das tarefas.

A motivação no ambiente de trabalho conduz ao foco no que é realmente importante e essa direção reduz o tempo de cada atividade. Além disso, sua performance é potencializada e a produtividade fica mais evidente.

Vale lembrar que no universo dos negócios tempo é dinheiro, portanto, execuções mais rápidas geram maior lucratividade e abrem espaço para novas demandas e oportunidades de crescimento.

Fortalecimento da marca

Você pode empoderar seus funcionários para contribuir para o empoderamento da marca. No primeiro caso (empowerment), é preciso incentivar o bom trabalho e reconhecer a importância do colaborador no cenário administrativo.

Aqui entra o sentimento de valorização e reconhecimento do seu valor perante à organização. Isso, por si só, eleva sua motivação e contribui para um desempenho cada vez mais competitivo.

Isso contribui também diretamente para o empoderamento da marca (employer branding), já que um funcionário motivado tende a defender a imagem da organização diante de outras pessoas.

De fora, é possível observar uma corporação forte e competitiva, um cenário favorável à motivação de colaboradores e o desejo de candidatos a participar e vivenciar aquele ambiente vencedor.

Colaboração e trabalho em equipe

A motivação no ambiente de trabalho eleva tanto o aspecto individual como o coletivo. Na prática, isso significa mais colaboração, engajamento e harmonia para executar serviços e vencer desafios.

A cooperação mútua estimula o trabalho em equipe e ainda melhora o relacionamento interpessoal entre colaboradores. Dessa forma, o time unirá forças para produzir mais e melhor.

Confira as sugestões de leitura a seguir!

Quais os tipos de motivação no trabalho?

De uma forma geral, existem dois tipos de motivação: motivação extrínseca e intrínseca. Para entender a motivação no trabalho é importante sabermos que as pessoas se motivam por diferentes razões. 

Numa organização, você encontra colaboradores que se sentem mais motivados por esperar algum tipo de bonificação e outros que vão se motivar com a atividade em si. 

Vamos esclarecer o assunto ainda mais a seguir:

Motivação extrínseca

A motivação extrínseca tem como ponto de partida o desejo do indivíduo de obter uma recompensa externa, como, por exemplo, reconhecimento social e bens materiais. 

Se uma pessoa sente que ela precisa fazer algo, isso envolve motivação extrínseca, uma vez que a motivação reside fora da pessoa

Essa motivação ocorre quando é determinado à pessoa a ação que ele deve executar, bem como a recompensa que ela receberá por essa ação.

Na segunda metade do século XX, durante o período industrial, a motivação extrínseca era muito usada para encorajar as pessoas a realizarem atividades. 

Naquela época, dominava a Teoria Behaviorista que definia que uma recompensa ou punição, se aplicada sistematicamente, condiciona e reforça repostas por parte dos indivíduos como antecipação a futuras recompensas ou punições. 

Estudos posteriores descobriram que determinadas recompensas extrínsecas podem destruir as motivações intrínsecas.

As recompensas extrínsecas são aquelas em que as variáveis que fornecem o comportamento se encontram perfeitamente identificadas e são apresentadas pelo ambiente. 

Por exemplo, os salários e outros benefícios monetários, além da diminuição da carga de trabalho, promoções ou até mesmo prêmios.

Essas recompensas extrínsecas resultam em motivação extrínseca, porque proporcionam uma satisfação que é independente da tarefa em si e são controladas por terceiros, como supervisores, colegas de trabalho ou o sistema de recompensa e benefícios da organização.

Motivação intrínseca

Se uma pessoa realmente quer ou deseja fazer algo mesmo sem receber benefícios tangíveis para isso, então ela possui motivação intrínseca. 

Logo, a motivação intrínseca é o ato de executar uma atividade por satisfação, em vez de executar devido a alguma consequência externa​​. 

Uma pessoa intrinsecamente motivada é movida a agir por diversão ou um desafio, e não devido a pressões ou prêmios.

As atividades motivadas intrinsecamente são aquelas em que não existe uma recompensa aparente para além da atividade em si, o que leva a concluir que a motivação intrínseca encontra-se associada à realização pessoal ou ao trabalho em si

Ou seja, a motivação intrínseca refere-se a uma necessidade psicológica inata para a competência e autodeterminação.

Dessa forma, os indivíduos intrinsecamente motivados são aqueles que atribuem o seu comportamento às necessidades internas, se esforçando para obter recompensas que satisfaçam tais necessidades intrínsecas.

As recompensas intrínsecas, por sua vez, são aquelas em que não se encontram presentes em algo de tangível que justifique o comportamento adotado pelo trabalhador. Ou seja, quando não existe uma recompensa aparente, exceto a atividade por si própria.

Como exemplos de recompensas intrínsecas temos a autoestima, o crescimento pessoal, tarefas desafiadoras, os sentimentos de realização por um trabalho bem feito, os sentimentos de uso e desenvolvimento das suas competências e aptidões, o prazer em satisfazer a curiosidade ou o prazer de participar de uma discussão estimulante.

10 maneiras de manter a motivação no trabalho 

Agora que já vimos como a motivação é importante, vamos mostrar algumas formas de manter a motivação elevada na empresa.

As técnicas abordadas são simples e fáceis de serem aplicadas. Por isso, qualquer departamento de Recursos Humanos que queira aumentar a motivação entre seus colaboradores pode colocá-las em prática.

Confira a seguir algumas dicas e como elas contribuição para o fim da desmotivação:

1. Tenha objetivos claros

Os colaboradores tendem a ficar mais motivados se conseguem perceber o valor do seu trabalho e o impacto de suas ações na estrutura da empresa. Essa motivação pode surgir por meio da criação de objetivos e metas coletivas.

Ao estabelecer as tarefas de cada funcionário, faça questão de deixar bem claro o que se espera deles e como podem colaborar para o crescimento empresarial. 

Assim, eles ficaram mais inclinados a produzir, já que há uma sensação de que o todo depende da ação individual deles.

2. Trate a motivação como algo coletivo e pessoal

Muitas empresas cometem o erro de tratar a motivação apenas como uma questão coletiva, que deve ser remediada com bônus e atividades no ambiente de trabalho. 

No entanto, isso não é verdade. A motivação é algo bastante pessoal e extremamente subjetivo.

Planilha de Cálculo do Adicional Noturno

Por isso, é importante entender o que motiva cada um de seus funcionários e buscar criar políticas plurais para o incentivo da motivação no trabalho.

Além disso, vale lembrar que a vida pessoal do colaborador também pode afetar no quanto ele está motivado. 

Por isso, analise com cuidado a situação de cada um e lembre de ter sensibilidade em situações delicadas, que afetariam a qualquer um naquele contexto.

Em resumo, não tente tratar os colaboradores todos da mesma forma e tampouco espere que eles reajam da mesma maneira às estratégias aplicadas.

Se você realmente deseja aumentar a motivação na empresa, o passo principal é: ouça o que os colaboradores têm a dizer e entenda como eles são.

3. Trabalhe com metas possíveis

Outro ponto importante para aumentar a motivação no trabalho é ter metas realmente alcançáveis. 

Para isso, distribua as atividades fazendo uso da gestão estratégica de funcionários, de acordo com as competências dos colaboradores. Isso fará com que os funcionários sintam que são capazes de cumprir seus trabalhos. 

Assim, eles não ficarão presos em um ciclo sem fim de esforços sem recompensa. Com o resultado visível e recompensado, não há quem não fique animado para continuar produzindo bastante, não é mesmo?

Para isso, crie critérios de premiação e bonificação, de forma que os colaboradores obtenham uma recompensa justa pelos seus esforços.

De nada adianta criar uma recompensa se ela é ínfima perto do trabalho realizado. Inclusive, recompensas ruins demais podem até mesmo atrapalhar em vez de ajudar.

4. Crie planos de carreira

A falta de plano de carreira é um dos maiores fatores de desmotivação na atualidade. Por isso, se você deseja aumentar a motivação na sua empresa, aposte na criação ou reformulação de um plano, deixando-o adequado às necessidades de seu colaborador.

Caso contrário, seu funcionário seguirá sem perspectivas de crescimento, o que, certamente, vai se transformar em uma forte desmotivação com o tempo, chegando até mesmo ao ponto de estagnação e acomodação. 

Sem possibilidades de evolução dentro do ambiente de trabalho, o colaborador passa a aparecer apenas para “bater ponto”. Essa atitude é muito maléfica para a produtividade, que tende a cair vertiginosamente.

Mas não só para ela, já que a mentalidade desmotivada do colaborador pode prejudicar outros quesitos como trabalho em grupo e clima organizacional. E até mesmo o caráter inovativo de uma empresa pode sofrer com os reflexos da falta de um plano de carreira.

5. Ofereça feedbacks constantes

O feedback é uma das maiores ferramentas de crescimento para qualquer empresa. Isso porque ela motiva os colaboradores e ajuda a melhorar os processos.

Muitas empresas ficam receosas em dar feedback, principalmente quando o colaborador está com um mau desempenho na empresa. 

No entanto, é exatamente nesses momentos que ele é mais importante! Pois, muitas vezes, o colaborador pode estar perdido e se sentindo sem direção.

Mas isso não significa que você deva ser rude, muito pelo contrário. O feedback para ter um resultado positivo deve ser feito corrigindo o colaborador construtivamente, orientando-o e elogiando também.

6. Invista no bem-estar financeiro

Vivemos em uma época em que o RH deve assumir, de vez, o seu lado multifuncional e estratégico para a qualificação da força de trabalho de suas empresas.

Muitas vezes, assumindo as rédeas de condições externas ao ambiente de trabalho, mas que impactam na rotina profissional. É o caso do bem-estar financeiro aos funcionários.

E como exemplo dessa prática, uma nova modalidade chegou ao mercado brasileiro: o salário sob demanda. Essa é uma modalidade que vem ganhando força no mercado e visa agregar a flexibilidade para que os colaboradores recebam pelas horas trabalhadas, mas ainda não pagas. 

Algo que alivia muitos dos problemas financeiros — e aqueles gerados pelos desafios em fechar as contas.

7. Invista em treinamento

Não há nada mais motivador que aprender algo novo que mude a dinâmica no ambiente de trabalho. Então, não tenha dúvidas que treinamentos e cursos são ótimas ferramentas do RH para aumentar a motivação na empresa.

Mas lembre-se de fazer com que essas formações sejam um momento dinâmico e propício para a integração. 

Caso contrário, eles podem ser ainda mais desmotivadores, passando a serem vistos como uma extensão do trabalho ou até mesmo um serviço extra a ser realizado.

8. Adeque o funcionário ao cargo

Não é difícil achar funcionários em empresas que estão desempenhando funções que têm pouco ou nada a ver com seu conjunto de habilidades. 

Esse também pode ser um grande motivo de desmotivação e frustração, já que gera a sensação de que o colaborador é incompetente.

Por isso, faça questão de se certificar que todos os seus funcionários estão alocados da maneira correta, respeitando habilidades e funções. Se necessário, faça também remanejamentos internos para resolver essa questão.

Assim, você terá como resultado um nível de produtividade bem mais elevado, bem como funcionários mais motivados. 

Além disso, você estará aumentando suas chances de reter os talentos que sua empresa possui e diminuir o índice de turnover.

9. Valorize as conquistas

É necessário aprender a dar o devido valor aos esforços destinados a cada atividade da rotina e a reconhecê-las como um passo indispensável que levará a uma conquista maior.

Por isso, uma dica importante é não diminuir sua função ou falar mal do seu trabalho. Além disso, evite dizer que o trabalho que você desempenha é fácil ou que qualquer um pode fazê-lo.

Não se trata, no entanto, de superestimar qualquer pequeno feito do dia a dia — o que pode, inclusive, se tornar uma armadilha e minar sua produtividade. 

Isso porque, se uma mínima tarefa realizada for suficiente para trazer a sensação de “dever cumprido”, a tendência é procrastinar todas as outras.

10. Estabeleça metas

Antes de mais nada, é preciso ter clareza sobre o que é, na realidade, uma meta. As metas são os pequenos passos necessários para que você alcance um objetivo maior — como mostramos no item anterior.

Ou seja: as metas são aquelas conquistas necessárias para atingir determinado fim, elas são os “meios” de realizar os projetos e chegar a um objetivo final.

As metas são as melhores amigas da produtividade, mas também podem se tornar as vilãs da motivação no trabalho quando estabelecidas de forma equivocada. Já que você pode acabar sufocado por elas!

E para que se tenha clareza na hora de estabelecê-las, o mais indicado é usar ferramentas como a metodologia SMART.

Esse método ajuda a criar metas com mais objetividade, seguindo um critério específico. Nele, para que uma meta funcione, ela deve ser:

  • Specific (específica);
  • Mensurable (mensurável);
  • Attainable (atingível);
  • Relevant (relevante);
  • Timely (temporal).

Ou seja: a meta SMART deve ser objetiva e clara, que possa ser metrificada e possível de ser atingida dentro do contexto da empresa, além de gerar resultados relevantes e ser cumprida dentro de um espaço determinado de tempo.

Um exemplo de uma meta SMART seria: aumentar o número de vendas de um produto (específica) em X% (mensurável) por meio de uma determinada estratégia (atingível), ocasionando um aumento de Y% nos lucros (relevante) em 6 meses.

Como identificar um colaborador desmotivado?

É muito importante saber identificar funcionários desmotivados, já que eles dificilmente expressam suas frustrações aos gerentes ou RH. Os seguintes sinais revelam o sentimento:

  • falta de foco no trabalho;
  • aumento de absenteísmo;
  • passar muito tempo longe da estação de trabalho;
  • atrasos frequentes;
  • mudanças de comportamento e humor;
  • observações ou comentários inapropriados sobre outras pessoas;
  • distanciamento de colegas.

Como medir a motivação no trabalho?

É papel dos proprietários, dos gestores e dos responsáveis pelo departamento de Recursos Humanos identificar fatores motivadores (ou desmotivadores) entre os colaboradores. 

Parta do princípio de que não há como presumir ou pressupor uma resposta: pergunte, sempre, e prepare-se para se surpreender com as respostas.

1. Crie meios de avaliar a produtividade

Funcionários mais motivados produzem mais. Porém, esse não é o único indicador que deve ser levado em consideração. 

É preciso observar o histórico de cada colaborador e a média dele quando comparado aos demais. Alguém que foi muito produtivo no passado, mas está entregando menos pode estar passando por algum problema.

Identificar as razões pelas quais os números estão mais baixos é o primeiro passo para compreender quais são as melhores ações a serem tomadas. 

Pode ser que a questão principal seja o ambiente de trabalho em si, e não o salário ou as perspectivas de carreira. Mensurar resultados é um aspecto-chave.

2. Tenha um NPS interno

NPS é uma sigla para Net Promoter Score, uma métrica criada pelo consultor norte-americano Fred Reichheld em 2003. 

A metodologia é bastante simples: nela o colaborador é convidado a dar uma nota de 0 a 10 com relação à satisfação sobre um determinado tema. Quanto maior a nota, mais satisfeito ele está.

A partir do cruzamento de respostas de diversas perguntas é possível traçar um panorama sobre os itens mais valorizados pelos funcionários e aqueles nos quais a sua empresa está sendo insuficiente. 

Em muitos casos, uma mudança de gestor ou melhorias no ambiente de trabalho já são suficientes para deixar mais pessoas motivadas.

3. Reavalie os benefícios oferecidos

Oferecer benefícios para os colaboradores é sempre um fator motivacional. Porém, certos tipos de complementos podem ter pouca ou nenhuma eficiência sobre um determinado grupo. 

Por isso, é preciso que você conheça o seu público-alvo, da mesma maneira como o perfil dos seus clientes é avaliado.

Uma empresa com colaboradores mais jovens, por exemplo, pode valorizar mais descontos para aprender inglês ou frequentar uma academia do que a possibilidade de fazer home office

Por outro lado, uma equipe com mais pais e mães pode dar valor à flexibilidade de horários e ao banco de horas mais do que o aprendizado de um idioma.

4. Faça pesquisas sobre o clima organizacional

Como já mencionamos, muitas vezes a forma de motivar os colaboradores de uma empresa é muito mais simples do que se imagina. 

Aquisição de móveis novos, materiais de escritório de qualidade, um aparelho de ar-condicionado ou mesmo regras mais flexíveis que não comprometam a produtividade são muito bem-vindas.

A melhor maneira de compreender o que se passa na cabeça dos seus funcionários é perguntando a eles

Faça pesquisas de avaliação do clima organizacional e deixe que eles mesmos destaquem os pontos positivos e negativos. Melhore o que estiver ruim e invista naquilo que for bem avaliado.

5. Ofereça perspectivas

Toda empresa tem os seus valores, regras e objetivos. Entretanto, nem sempre eles estão alinhados com as expectativas dos funcionários. 

Os mais jovens podem preferir um plano de carreira mais bem definido, enquanto os mais velhos podem preferir estabilidade e segurança. O que a sua companhia tem a oferecer?

Criar estratégias para reter seus melhores talentos — ou atrair novos — é uma forma de investir na motivação dos seus colaboradores. 

Certifique-se de contratar pessoas que têm um perfil compatível com a sua empresa. Isso o ajudará a reduzir a rotatividade de pessoal e deixará mais tranquilos aqueles que compartilham o crescimento do negócio com você diariamente.  

Os materiais gratuitos a seguir vão auxiliar você nas rotinas de gestão de pessoas:

Principais dúvidas sobre motivação no trabalho 

O que é motivação no ambiente de trabalho?

Motivação no trabalho é o sentimento que move todas as ações do profissional no ambiente de trabalho e está ligada à vontade de se manter naquele emprego.

Quais os tipos de motivação no trabalho?

Motivação extrínseca e intrínseca. A motivação extrínseca tem como ponto de partida o desejo do indivíduo de obter uma recompensa externa, como, por exemplo, reconhecimento social e bens materiais. A motivação intrínseca é o ato de executar uma atividade por satisfação, ao invés de executar devido a alguma consequência externa​​. 

Quais as principais dicas para manter a motivação no trabalho?

1. Tenha objetivos claros;
2. trate a motivação como algo coletivo e pessoal;
3. trabalhe com metas possíveis;
4. crie planos de carreira;
5. ofereça feedbacks constantes;
6. invista no bem-estar financeiro;
7. invista em treinamento;
8. adeque o funcionário ao cargo;
9. valorize as conquistas;
10. estabeleça metas.

Conclusão

Entendeu tudo sobre motivação no trabalho e como mantê-la ou aumentá-la? A ideia é que o RH e o gestor façam das dicas apresentadas aqui algo pertencente a suas rotinas.

Isso porque, com o passar do tempo, ligeiras mudanças de comportamento podem indicar que uma estratégia de motivação já não funciona tão bem e precisa ser substituída ou incrementada.

Outras questões, como indicadores de produtividade, podem ajudar o gestor a avaliar o desempenho da equipe na realização de tarefas.

Uma informação que também ajuda a entender se há um problema, como a falta de motivação, que precisa ser corrigido para que os resultados melhorem.

Ainda, métricas como a do turnover ajudam a empresa a perceber uma eventual alta na rotatividade de funcionários.

Tal situação pode estar atrelada a fatores relacionados à falta de motivação no trabalho, o que indica a necessidade de uma nova análise e plano de ação para reter talentos e mantê-los interessados em participar das conquistas da organização.

Conseguiu entender como melhorar a motivação no trabalho? Aproveite e leia sobre como a marcação de ponto correta favorece a motivação da equipe!

Banner branco com o texto: Faça a gestão de férias do seu time em uma só plataforma e acabe com a burocracia no DP. Conheça o gestão de férias; e uma pessoa usando o gestão de férias